Publicidade
Cotidiano
Notícias

‘Neymar da matemática’: Estudante traz medalha de ouro para o Amazonas

Yuri Macedo, de 13 anos, e mais três alunos ganharam medalha de ouro no concurso que envolveu 18 milhões de estudantes em todo o País 14/08/2015 às 12:00
Show 1
Medalhista de ouro, Yuri é aluno da da Escola Estadual Waldocke Frecke de Lyra, administrada pela Polícia Militar.
Nelson Brilhante Manaus (AM)

Yuri Macedo, de 13 anos, é um garoto humilde, morador do Parque São Pedro, antiga “invasão da Carbrás”, Zona Norte, um dos bairros considerados “zona vermelha” pela Polícia Militar, em função dos altos índices de criminalidade, incluindo tráfico de drogas. Mas hoje ele vestirá sua melhor roupa porque será convidado de honra na entrega das medalhas de prata, bronze e outras premiações a alunos, professores e escolas amazonenses que foram premiados na 10ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

Afinal, ele e mais três alunos ganharam medalha de ouro no concurso que envolveu nada menos que 18 milhões de estudantes em todo o País.

Yuri é aluno da Escola Estadual Waldocke Frecke de Lyra, administrada pela Polícia Militar do Amazonas, e dividiu o prêmio máximo com os também amazonenses Luis Pedro Matos França, Raquel Folz Cavalcante e Victor Matheus de Oliveira Vidal, todos do Colégio Militar de Manaus. Os quatro receberam a medalha de ouro, referente à competição de 2014, no Rio de Janeiro, além de bolsas de estudo até o mestrado.

A solenidade de entrega das medalhas de prata e demais premiações será às 10h de hoje, no auditório Samaúma, da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), no Minicampus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). São mais de 100 agraciados entre alunos, escolas e professores.

Solenidade

Foi no dia 20 de julho, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a solenidade que homenageou os vencedores da OBMEP 2014. Medalhistas de ouro (465 dos 501 premiados) e os cinco alunos com melhor pontuação de estados que não conquistaram medalhas de ouro.

Participaram da primeira fase alunos de todos os 62 municípios do Amazonas. Os aprovados nessa primeira peneira foram credenciados para entrar na competição nacional.

São provas de matemática, que visam a avaliação do raciocínio lógico dedutivo dos estudantes da rede pública de ensino em todo o Brasil. As provas são encaminhadas para a coordenação geral do concurso, que fica no Rio de Janeiro, que é composta por matemáticos do Brasil inteiro.

Todos os medalhistas são encaminhados ao Programa de Iniciação Científica (PIC). “Os medalhistas de ouro, prata ou bronze de qualquer edição da OBMEP, regularmente matriculados no ensino superior, poderão se candidatar ao Programa de Iniciação Científica e Mestrado (PICME) oferecido por diversas instituições de Ensino Superior, além de uma bolsa financeira de estudo com duração de um ano”, disse o coordenador regional do projeto no Amazonas, Prof. Danilo Benarrós.

O único da rede pública estadual

Yuri é o orgulho do casal Idinaldo e Marcilene Michelle. “A premiação dele deixou a gente muito orgulhoso porque foi o único aluno da rede estadual a ganhar medalha de ouro. Desde os quatro anos que se destacou nessa matéria. Costumo dizer que ele é o nosso Neymar da Matemática. Ficamos preocupados quando ele se inscreveu, para não atrapalhar os estudos”, lembra o pai do menino, que é promotor de vendas.

De acordo com o diretor, major Alysson Lima, a escola tem 1.987 alunos, do Ensino Fundamental e do Médio, e passou a ser administrada pela PM em 2011, mas foi a primeira vez que teve um aluno medalha de ouro no OBMEP. “Desde o ano passado, o Yuri virou estímulo geral para os demais alunos. Tanto que tivemos aumento de 100% de inscrições para o concurso deste ano”, destaca o diretor.

Yuri e a irmã, Poliana Michelle, de 12 anos, também aluna do colégio Waldocke Frecke de Lyra, já passaram na primeira fase do concurso deste ano e aguardam a prova nacional.

Prêmios do Amazonas

Bolsas de Iniciação Científica Júnior do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq) para todos os alunos medalhistas;

Os estudantes amazonenses somaram ao todo quatro medalhas de ouro, 18 de prata e 81 de bronze;

534 menções honrosas;

Três professores do Estado foram premiados com tablet, diploma e assinatura anual da Revista do Professor de Matemática (RPM-SBM);

15 professores premiados com diploma de homenagem das Olimíadas de Matemática e assinatura anual da Revista do Professor de Matemática (RPM-SBM);

15 escolas premiadas com kit de material didático para o uso de todos os alunos;

Quatro escolas premiadas com troféu;

Duas secretarias de educação premiadas com troféu;

Publicidade
Publicidade