Publicidade
Cotidiano
Notícias

No Amazonas, mulheres são a maioria no Exame Nacional do Ensino Médio

Maioria das candidatas inscritas para o Enem no Amazonas possui o Ensino Médio completo (64,9%). As mulheres também representam a maioria dos inscritos, com 55,9% do total, representando 101.907 dos 156.815 candidatos. Em todo o País, 7 milhões de pessoas se inscreveram 24/10/2015 às 14:23
Show 1
Vale tudo para conseguir uma boa nota no Enem, até mesmo sacrificar o final de semana, feriado, saída para festas, cinema... Dedicação total para quem almeja entrar na universidade pública
Silane Souza ---

Mais de 55,9%, de um total de 156.815 pessoas que se inscreveram para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) este ano no Amazonas são mulheres, onde 33,6% têm entre 21 a 30 anos e 64,9% já concluíram o Ensino Médio.

Os dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação das provas que foram aplicadas neste sábado e domingo para mais de 7 milhões de candidatos em todo o País.

O perfil dos inscritos no Enem 2015, no Estado, foi enviado ao A CRÍTICA pelo Inep. Nas inscrições processadas pelo instituto, 72,05% dos candidatos se declararam de cor parda; 16,30% de cor branca, e 5,59% de cor negra. Os demais participantes se declararam de cor amarela (1,69%); indígena (2,15%); não declarado (1,54%); e não dispõe da informação (0,65%).

Em relação à situação escolar, a maioria dos inscritos concluiu o Ensino Médio. Este grupo, de acordo com o Inep, com 101.907 pessoas, representa 64,9% do total. Outros 34.425 candidatos (21,9%) concluirão ainda neste ano. Os que vão concluir o Ensino Médio após 2015, somam 14.991 (9,5%). Do total de candidatos, 5.492 pessoas (3,5%) ainda não concluíram.

No Amazonas, dos 156.815 inscritos no Enem 2015, 56.996 têm entre 21 a 30 anos, o que representa 36,34% do total.

Os menores de 16 anos são em número de 7.635, isto é, 4,86%. Os demais candidatos têm a seguinte faixa etária: 17 anos (17.550), 18 anos (17.954), 19 anos (14.095), 20 anos (11.343). Os candidatos com mais de 30 anos são em número de 27.870.

Ainda de acordo com o Inep, para a realização das provas no Estado, o instituto recebeu 3.209 pedidos de atendimento diferenciado: sabatista (2.770), lactante (238), gestante (183), idoso (17) e classe hospitalar (1). Nesse caso, a instituição salienta que o candidato pode ter solicitado mais de um atendimento.

Atendimento diferenciado

Também foram solicitados, conforme o Inep, 975 atendimentos por algum tipo de limitação declarada, como deficiência auditiva (101), baixa visão (138), deficiência intelectual (29), dislexia (13), outra deficiência (40), cegueira (23), surdez (45), deficiência física (359), autismo (7), discalculia (1), déficit de atenção (36) e visão monocular (183). O inscrito pode ter mais de uma deficiência e/ou condição especial.

O Inep ainda recebeu 1.564 pedidos para atendimento de recurso, ou seja, de pessoas que vão precisar de auxílio na hora da prova como prova em braile (3), auxílio para leitura (74), prova ampliada (78), tradutor-intérprete libras (80), sala de fácil acesso (344), auxílio para transcrição (83), leitura labial (20), outros (215). Nesse caso, o inscrito também pode ter solicitado mais de um recurso/auxílio de atendimento.

De um total de 156.815 inscritos no Enem no Amazonas, 31.517 vão fazer o exame gratuitamente por serem concludentes do Ensino Médio, 28.403 pagaram uma taxa de R$ 63, e 96.895 declaram carência por não ter condições financeiras de fazer o pagamento da taxa de inscrição.

Prepare o psicólogico para o horário de verão

Por conta do horário de verão, os candidatos do Enem no Amazonas têm a maior diferença de fuso horário em relação a Brasília. Enquanto a maioria dos estudantes brasileiros vão fazer as provas às 13h30, no Amazonas, os portões serão abertos pontualmente às 10h e fecha às 11h, nos dois dias de prova, sendo que, em 13 municípios do Oeste do Estado os portões abrem às 9h e fecha às 10h, por seguirem o fuso do Acre.

Para a gerente de Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Ana Donisete Oliveira, o horário é complicado, porém, normalmente o aluno é preparado psicologicamente no decorrer do ano.

“Não há impacto no resultado do exame. Não existe nenhum estudo que comprove isso. Mas orientamos que as pessoas levem lanches para que possam passar o dia com certa tranquilidade”, observa.

Neste sábado, os candidatos tiveram 4h30 para fazer as provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. No domingo, com 5h30 de duração, serão aplicadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias.

Pontos

Alimentação saudável antes da prova

A nutricionista Elisa Goulart revela que a dica primordial para quem vai fazer o Enem é jamais fazer a prova de estômago vazio. Conforme ela, é importante comer duas horas antes do início da prova para que a digestão não seja comprometida pela ansiedade.

Ela, que também é gerente de relações com o Mercado do Laboratório Sabin, diz que o café da manhã deve ser feito até no máximo 8h, com o consumo de fontes de carboidratos complexos, presentes em pães e torradas. “Isto porque a energia destes alimentos é fornecida ao cérebro de forma regular, o que diminui a ansiedade”.

O consumo de frutas, hortaliças e cereais integrais também é importante já que eles são alimentos ricos em vitaminas e minerais, utilizados em maior quantidade durante o estresse do vestibular. Também é preciso levar uma garrafa de água, nada de refrigerante ou bebidas açucaradas, que podem estimular a fome. “Durante a prova o ideal são os cookies integrais, barrinhas de cereais ou biscoitos salgados integrais”.

Ela destaca que o candidato deve evitar alimentos muito gordurosos, pois retardam a digestão e dão sono. Alimentos com muito sal, como batata frita, também devem estar fora do cardápio, pois aumentam a sede e causam desconforto durante a prova. Além disso, ele deve ficar longe de cigarro e bebidas alcoólicas, pois, apesar das substâncias com efeito estimulante, podem aumentar o nervosismo.

Publicidade
Publicidade