Publicidade
Cotidiano
LEITURA

No Dia do Bibliotecário, Câmara dos Deputados avalia proposta de difusão da leitura

Dados do Ministério da Educação mostram que mais da metade dos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental de 20 Estados apresentou baixo desempenho em Leitura, entre eles o Amazonas 14/03/2018 às 14:48 - Atualizado em 28/03/2018 às 15:25
Show livro
(Foto: Divulgação)
acritica.com

O Dia do Bibliotecário é comemorado hoje, 12, no Brasil, e esta data alerta também para uma importante questão: o hábito da leitura entre crianças e adolescentes, que tem sido deixado de lado com a chegada das novas tecnologias. Dados do Ministério da Educação (MEC) mostram que mais da metade dos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental de 20 Estados apresentou baixo desempenho em Leitura, entre eles o Amazonas.

Na Câmara dos Deputados, o parlamentar professor Gedeão Amorim (MDB) afirma que essas são estatísticas preocupantes e refletem diretamente na formação desses alunos. Gedeão destaca que enquanto cumpria seu mandato como vereador na Câmara Municipal de Manaus elaborou um Projeto de Lei (PL) 82/2017 sobre o estímulo e difusão da leitura dentro das escolas públicas e já estuda como dar continuidade no PL, na Câmara Federal, em Brasília.

“Um projeto que poderia ser executado com a criação de mais bibliotecas públicas e a utilização do livro como instrumento de pesquisa, realização de eventos nas escolas e outros tantos métodos para promover a leitura. Dessa forma, poderíamos contribuir com a formação de uma sociedade leitora e a preservação cultural do nosso município, além de valorizar a profissão do bibliotecário”, ressalta o parlamentar.

Mais bibliotecas

O deputado questiona também a falta de bibliotecas e salas de leitura no Estado. “Em Manaus, só há uma biblioteca pública. Sabemos que com a chegada da internet esses espaços parecem não ter mais utilidade, mas as bibliotecas precisam estar nas escolas, precisam fazer parte da vida do estudante. A leitura, além de favorecer o aprendizado de conteúdo específicos, aprimora a escrita”, afirma.

Gedeão Amorim frisa que está elaborando um projeto de lei que trabalhe em cima da criação de programas para a criação de bibliotecas públicas estratégicas dentro dos municípios, inclusive, em parceria com a iniciativa privada.

“Temos que deixar de lado a cultura de que somente os alunos das escolas particulares tem o incentivo necessário para obter bons hábitos de estudo. Teremos que preparar profissionais para isso, com planejamento pedagógico, e claro que não resolveremos esse problema apenas com bibliotecas, temos que ir a fundo”, finaliza Amorim.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade