Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Notícias

‘Normas’ para o setor da construção civil elevam custos

O incômodo dos moradores de edifícios, a deficiência nas obras e as reclamações de usuários fizeram com que houvesse necessidade de regularizar essas normas



1.jpg As ‘Normas de Desempenho’ (ABNT) para o setor da construção civil consiste na utilização de materiais acústico
19/07/2013 às 08:14

Os ruídos provocados pelo vizinho do prédio já tirou do sério a turismóloga Christiane Coelho por várias vezes. “A acústica do apartamento de lá é bem fraquinha. Escutamos todos os barulhos do apartamento de cima do nosso, até se uma moeda cai no chão. As filhas do vizinho correm pelo corredor, derrubam coisas e até quando estão brigando a gente ouve as conversas. Vira e mexe a gente grita reclamando”, disse ela que mora no condomínio Eliza Miranda, no Distrito Industrial, Zona Sul de Manaus.

O problema por que passa Christiane e milhares de pessoas que vivem em condomíniosbrasileiros está com os dias contados. A partir de hoje as chamadas “normas de desempenho” de qualidade (ABNT NBR 15575) para o setor da construção civil, que consiste na utilização de materiais mais resistentes e com maior proteção acústica para evitar os recorrentes incômodos aos vizinhos. No entanto, isso poderá aumentar o custo da construção e o valor final dos imóveis. “Vai sair mais caro porque as normas serão obrigadas a encarecer, mas nada significativo”, disse o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Amazonas (Sinduscon-AM), Eduardo Lopes.



De acordo com as normas, os sistemas que compõem os edifícios, como as instalações hidrossanitárias, as estruturas, os pisos, fachadas, coberturas e outros, terão que atender obrigatoriamente a um nível de desempenho mínimo ao longo de uma vida útil do imóvel.

O incômodo dos moradores de edifícios, a deficiência nas obras e as reclamações de usuários fizeram com que houvesse necessidade de regularizar essas normas “Desde fechaduras de portas, esquadrias de alumínio, perfil de vidros de determinada espessura, altura mínima do piso. Tudo isso vai constar nas normais, que vai melhorar principalmente a acústica nas novas residências. As normas vieram para que as empresas obedeçam, coloquem produtos com melhor qualidade e durabilidade”, informou  Lopes.

A regulamentação pautada pelo governo federal e pelas próprias academias de engenharia do país vem sendo protelada desde 2010. Tanto é que a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) lançou um guia orientativo para as empresas do setor, que já está sendo comercializado pelo Sinduscon-AM.

Mercado

A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) informou que, em junho, a indústria apresentou queda de 3,4% com relação a maio. Já ante os últimos doze meses, houve aumento de 2,3%.

No acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2012 as vendas aumentaram 3,7%. Para o presidente da entidade, Walter Cover, o resultado está 0,8% abaixo do projetado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.