Publicidade
Cotidiano
TECNOLOGIA

Mercado de computadores cresce 63,52% em relação ao mesmo período de 2017 na ZF

Indispensáveis no dia a dia de milhões de brasileiros, os computadores e os notebooks têm aquecido os termômetros da economia 17/06/2018 às 14:49 - Atualizado em 17/06/2018 às 15:34
Show pc
Notebooks estão em alta na economia brasileira. Foto: Agência Brasil
Rebeca Beatriz Manaus (AM)

Indispensáveis no dia a dia de milhões de brasileiros, os computadores e os notebooks têm aquecido os termômetros da economia do País. Uma pesquisa da IDC Brasil mostrou que nos primeiros três meses de 2018, o número de produtos vendidos subiu em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com os Indicadores de Desempenho do Polo Industrial de Manaus, o setor cresceu 63,52%.

Até janeiro de 2018 foram produzidos 12.511 microcomputadores. Ao todo, no Brasil, foram comercializados 1,34 milhão de equipamentos, 21% a mais do que o registrado no primeiro trimestre de 2017, quando foram vendidos 1,1 milhão de máquinas. O destaque é para os notebooks, que responderam por 69,3% das vendas, enquanto os desktops representaram 30,7% em todo o País.

Em Manaus, as lojas que atuam no segmento estão a todo vapor. O Gestor de Produtos de Informática da TV Lar, Fabrício Simões, revela que o segredo está em um processo que passa por várias etapas, até o produto chegar no consumidor final.

“No primeiro semestre houve um acumulativo de 150% nas vendas. Esses números resultam de um empenho que vai desde a exposição do produto nas vitrines até o profissionalismo do vendedor”, comenta.

Modernização

Na Rede Bemol, o crescimento das vendas foi de 28% em relação ao ano passado. O grupo de computadores segue estável, com praticamente a mesma performance de 2017, exceto pela entrada no mercado do All in One (Computadores com CPU integrada), que estão disponíveis este ano. Os notebooks respondem por mais de 75% da categoria.

A Superintendente de Compras da empresa, Rúbia Akel, destaca a busca por atualização como fator chave para o aumento nas vendas.

“O segmento vai bem e vive uma retomada em razão do comportamento de renovação do produto. O último ‘boom’ foi há 3 ou 4 anos, que é o tempo aproximado que um item dessa categoria costuma ser substituído por um modelo mais atualizado”, explica.

5% a mais até o fim do ano

Contrariando a tendência de que as vendas caem no primeiro trimestre do ano, 2018 começou com o pé direito no questio comércio de computadores e notebooks. 
Em linhas gerais, os PCs movimentaram R$ 3,01 bilhões, 22,6% a mais do que no primeiro trimestre de 2017, que foi R$ 2,51 bilhões.

Para o analista  de pesquisa da IDC Brasil, Wellington La Falce,  a cotação do dólar passou segurança aos consumidores, ajudando a impulsionar as vendas. “Normalmente, no primeiro trimestre há queda nas vendas de PCs. Este ano, como não houve aumento significativo do dólar no período, fabricantes e varejistas conseguiram manter os mesmos preços de 2017”, explica. Ainda de acordo com a pesquisa, até o fim do ano o mercado deve crescer 5% em relação a 2017.

Publicidade
Publicidade