Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
ECONOMIA

Nova fábrica de componentes é lançada com perspectiva de empregos em Manaus

Positivo Tecnologia inaugurou a Boreo Indústria de Componentes no Polo Industrial com a expectativa de chegar a 2 mil empregos



fabrica.jpg Fábrica é voltada para a produção de baterias e celulares (Foto: Oswaldo Neto)
26/09/2017 às 12:40

Com expectativa de chegar a 2 mil empregos, a Positivo Tecnologia inaugurou nesta terça-feira (26) em Manaus a sua segunda fábrica voltada para componentes no Polo Industrial. Somando investimentos de R$ 80 milhões, a Boreo Indústria de Componentes surge para expandir a ampliação da empresa, que já possui uma unidade de fabricação de computadores e tablets no PIM. Ao todo, 270 empregos diretos e 1.200 indiretos foram gerados, no entanto, o objetivo é ultrapassar essa meta.

Com a indústria de componentes, a Boreo espera produzir 1,1 milhão de peças por hora no Polo Industrial de Manaus, entre elas placas e baterias para computadores e celulares. Segundo a empresa, as marcas a serem vendidas são da Positivo, Quantum e VAIO.

Arrecadação crescente

A solenidade contou com a presença de representantes da empresa e do governador David Almeida (PSD). Segundo ele, o Amazonas vem apresentando uma crescente na arrecadação desde junho deste ano. A estimativa é que o mês de setembro seja o terceiro melhor mês de arrecadação de todos os tempos.

"Em setembro vamos superar agosto com o crescimento acima de 30%. Esse modelo Zona Franca atrai empresas como a Positivo e nos sentimos muito felizes e satisfeitos por eles terem acreditado no Amazonas", declarou o governador, afirmando que o Conselho Nacional de Desenvolvimento do Amazonas (Codam) apontou a possibilidade de R$ 1,2 bilhões em novos investimentos na capital para os próximos meses.

Empregos

O presidente da Positivo Tecnologia, Hélio Rotenberg, explicou que a fábrica nasce com 270 empregos gerados diretamente e 1.200 indiretamente nas duas fábricas. Com o crescimento da economia e principalmente no mercado de computadores e smartphones, a expectativa é que as duas fábricas no PIM somem 2 mil empregos nos próximos anos.

“Sempre vão ser geradas novas vagas, mas precisamos crescer. A empresa nasce com 270 empregos, mas isso ainda é tímido. O terceiro trimestre do mercado de computadores cresceu em relação ao mesmo período do ano passado. Se continuar nesse ritmo, certamente vão ter novas vagas”, disse ele.

Sobre novos investimentos, Rotenberg afirmou que as aquisições são contínuas. “Estamos muito felizes. Neste momento a gente coloca toda a nossa capacidade produtiva e vamos unificá-la aqui. Isso dá ganhos logísticos, ganhos econômicos e só fizemos isso porque acreditamos. Testamos com a fábrica de computadores. O investimento continua sempre, pois projetos de pesquisa crescem em Manaus. Se nós crescermos, Manaus cresce também”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.