Publicidade
Cotidiano
DETENTOS

Novo presídio do município de Parintins será construído na região da Vila Amazônia

Após uma audiência pública, moradores concordaram com a construção da unidade prisional com a capacidade para 286 detentos 29/07/2017 às 16:17 - Atualizado em 29/07/2017 às 16:22
Show 966
Foto: Arquivo A Crítica
acritica.com

Após uma audiência pública realizada ontem, sexta-feira (28), os moradores da Vila Amazônia, no município de Parintins, a 267 quilômetros de Manaus, concordaram, por maioria dos votos, construir no local o novo presídio de Parintins, com a capacidade para 286 detentos.

Além de moradores de diversas comunidades da Vila Amazônia, participaram da audiência o vice-prefeito de Parintins, Tony Medeiros, vereadores, representantes da Igreja Católica, do Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Polícia Militar e da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária.

O novo presídio deverá ser construído pela Seap em um lote de terra com aproximadamente 9 hectares de extensão. A obra, segundo informou a Seap, já possui assegurado um valor de R$ 17 milhões oriundo de um fundo federal.

Com a construção da nova unidade prisional, a antiga localizada no Centro de Parintins será desativada. “Essa foi uma das reivindicações feitas pelos moradores e, juntamente com a Secretaria de Administração Penitenciária, conseguimos acatá-la. Além disso, com o presídio pronto, desativaremos por completo o que existe no Centro de Parintins”, disse o vice-prefeito Tony Medeiros.

Para Sérgio Muniz, morador da comunidade de Zé Açu, a construção do presídio é de suma importância porque atenderá não somente as demandas da própria Vila, mas também de Parintins como um todo. “Sou favorável a essa construção porque no presídio os detentos não vão ficar só presos, mas vão estudar, ter uma profissão para serem ressocializados”, salienta Muniz.

Conforme a Prefeitura de Parintins, as obras têm previsão de começar ainda este ano, com estimativa de duração de aproximadamente 3 anos. A mão-de-obra a ser utilizada, segundo a prefeitura, será preferencialmente de moradores da própria gleba de Vila Amazônia.

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade