Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
publicidade
caixa.JPG
publicidade
publicidade

EM AGOSTO

Número de depósitos na Poupança da Caixa supera R$ 944 milhões de captação líquida

Saldo atinge R$ 261 bilhões, registrando crescimento de 9,8% nos últimos 12 meses


04/09/2017 às 16:08

Com captação líquida acumulada de R$ 944,1 milhões até agosto de 2017, a Caixa Econômica Federal confirma a tendência de crescimento dos depósitos em Poupança, de maneira diferente do comportamento observado no mercado que, segundo dados do Banco Central, acumulava perdas de R$ 12,8 bilhões até 28 de agosto. Nos últimos 12 meses, o saldo da Poupança da Caixa registrou um crescimento de 9,8%, atingindo R$ 261 bilhões e aumentando sua participação de mercado para 38,23%.

Além da rentabilidade atrativa, o crescimento do número de contas de poupança abertas ao longo dos últimos 12 meses na Caixa, um total de 7,1 milhões de poupanças, são fatores que contribuíram para a captação positiva.

De acordo com o vice-presidente de Produtos de Varejo da Caixa, Fábio Lenza, “cada nova poupança aberta é, na verdade, um sonho confiado à Caixa, que tradicionalmente sempre foi reconhecida pela população como o principal banco depositário dos recursos de poupança”.

publicidade

Com a redução da Taxa Selic, a rentabilidade da Poupança passou a ser mais atrativa em relação a outros investimentos tais como CDB e Fundos, a depender do prazo e do valor. Veja o comparativo para uma aplicação de R$ 10 mil e prazo de aplicação de 30 dias:

A caderneta de poupança é isenta de imposto de renda. Os rendimentos são creditados mensalmente, na data de aniversário de depósito, e a liquidez é diária.

publicidade
publicidade
Bolsonaro e Paulo Guedes se contradizem ao falar sobre Zona Franca de Manaus
Jerônimo Antunes renuncia do cargo no Conselho da Petrobras
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.