Publicidade
Cotidiano
Notícias

Número de empregos formais no Estado do Amazonas cai 0,23% em relação ao ano de 2013

Os dados divulgados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) apontaram que os setores da Indústria de Transformação e de Construção Civil tiveram queda significativa em 2014 em comparação ao ano de 2013  09/09/2015 às 17:18
Show 1
Em 2014, o setor da Construção Civil teve redução de 6,2 mil postos de emprego (-18,12%, a maior queda em termos percentuais) em relação ao ano de 2013
Rafael Seixas Manaus (AM)

O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, divulgou nesta quarta-feira (9) os dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), que é uma das principais fontes de informações sobre o mercado de trabalho formal brasileiro.

O estudo apontou que no Amazonas o número de empregos formais alcançou 642,9 mil em dezembro de 2014, representando uma redução de 0,23% em relação ao estoque de emprego de dezembro de 2013. Em números absolutos, esse aumento correspondeu ao decréscimo de 1,5 mil postos de trabalho, em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Esse resultado pode ser atribuído preponderantemente aos setores da Indústria de Transformação, que foi responsável pelo declínio de 8,4 mil postos (-6,00%), e da Construção Civil, que respondeu pela redução de 6,2 mil postos (-18,12%, a maior queda em termos percentuais).

Em termos relativos, o melhor desempenho foi registrado no Comércio, com crescimento de 4,61% (+4,5 mil postos). Os setores que apresentaram resultados positivos foram os Serviços, com a criação de 7,2 mil postos (+4,25%), o Comércio, com +4,5 mil postos (+4,61%), a Administração Pública, com +1,5 mil postos (+0,77%) e os SIUP, com +201 (+3,25%)

O rendimento real médio do trabalhador amazonense teve aumento de 0,90% em relação a 2014, como consequência das variações relativas nas remunerações médias percebidas pelos homens (+1,40%) e pelas mulheres (+0,43%).

Em dezembro de 2013, os homens ganhavam em média R$ 2.4667,10 e em 2014 esse valor passou para R$ 2.501,75. Já as mulheres, em 2013, recebiam 2.094,49 e esse número teve uma queda, ficando em R$ 2.103,45 no ano passado.

Mais informações sobre os números referentes ao Estado do Amazonas coletados na RAIS podem ser obtidas por meio do site portal.mte.gov.br/portal-mte/rais/.

Ritmo lento, mas com estabilidade

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) de 2014 apresentou relativa estabilidade ao registrar variação de 0,1% em relação ao ano anterior. Ao longo do ano de 2014, verificou-se uma desaceleração das taxas de crescimento do PIB no acumulado em quatro trimestres.

Conforme os dados da RAIS 2014, o nível de emprego formal cresceu 1,27% em relação ao estoque de trabalhadores formais de 2013, o que correspondeu, em termos absolutos, a um incremento de +623.077 postos de trabalho. O resultado corrobora à trajetória de crescimento do emprego formal nos últimos anos, porém em um ritmo menor.

O crescimento do emprego formal ininterrupto contribui para a redução da taxa de desemprego no Brasil. Em 2014, de acordo com o IBGE, a taxa de desemprego ficou em 6,8%.

Registro

A RAIS é um registro administrativo e constitui uma das principais fontes de informações sobre o mercado de trabalho formal brasileiro, que permite o acompanhamento e a caracterização do emprego formal.

O tratamento estatístico das informações provenientes do estudo possibilita a obtenção de dados mais desagregados em termos geográficos, setoriais e ocupacionais, chegando em nível de município, classes de atividades econômicas e ocupações.

Em razão de sua multiplicidade de informações de interesse social, o RAIS possui um enorme potencial como fonte de dados, capaz de subsidiar os diagnósticos e fundamentar as políticas públicas de emprego e renda, possibilitando aos gestores delinear, com maior precisão, ações que reduzam as disparidades sociais.

Publicidade
Publicidade