Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
publicidade
AgenciaPara_f925166d-3b3a-4ea9-b0f6-02fe4df638f1.jpg
publicidade
publicidade

ALERTA

Número de mortos por suspeita de raiva humana no Pará chega a seis

Sexta vítima fatal foi uma criança de dez anos que faleceu na tarde desta sexta-feira; casos ocorrem em Melgaço, na Ilha do Marajó


Uma criança de 10 anos morreu com suspeita de raiva humana no Pará. Ela estava internada no Hospital Santa Casa, em Belém, e morreu na tarde de ontem (1º).

A Secretaria de Saúde do Pará informou que realizou a coleta de sangue do paciente, mas que o resultado do exame confirmando o diagnóstico de raiva humana ainda não ficou pronto.

Melgaço

Os casos foram contabilizados em Melgaço, município localizado no arquipélago de Marajó. Até o momento, sete casos de raiva humana foram confirmados em laboratório dos 14 notificados na cidade.

Das sete pessoas com diagnóstico confirmado, seis morreram e uma permanece internada em estado grave no Hospital Regional de Breves. O paciente apresenta sintomas como febre, dificuldade de respirar, dor de cabeça, dor abdominal e sinais neurológicos como convulsão, desorientação e sensibilidade a sons.

Morcegos

A raiva humana é transmitida por mordida, lambida ou arranhões provocados por um animal infectado, geralmente, morcegos.

No ano passado, duas crianças de uma mesma família morreram de raiva humana no Amazonas após serem mordidas por um morcego hematófago, ou seja, que se alimenta de sangue. Um irmão das crianças sobreviveu, com graves sequelas.

A raiva humana é uma doença de difícil tratamento e a principal forma de prevenção é a vacina, que não está prevista no calendário obrigatório.

publicidade
publicidade
Cinco pessoas desaparecem após balsa acertar pilar e derrubar ponte no Pará
Com enredo dedicado ao Pará, Aparecida entra na avenida do samba
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.