Sábado, 24 de Agosto de 2019
Período de um ano

Número de vítimas lesionadas em acidentes aumenta 14% em um ano no Amazonas

Entre janeiro a outubro deste ano ocorreram 936 casos a mais que no mesmo período do ano passado



414551.JPG Dirigir alcoolizado, sob alta velocidade ou falando ao celular estão entre as principais causas de colisões e atropelamentos (Foto: Winnetou Almeida)
01/12/2016 às 05:00

Casos de violência no trânsito acontecem quase que diariamente em Manaus e em municípios do interior do Estado. Dirigir alcoolizado, sob alta velocidade ou falando ao celular estão entre as principais causas de colisões e atropelamentos, que vitimam motoristas ou pedestres, tanto fatalmente quanto apenas com ferimentos.

Conforme balanço da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), divulgado hoje, o número de vítimas lesionadas – que tiveram lesões e sobreviveram – aumentou 14% em um ano no Estado. De janeiro a outubro de 2016, ocorreram 7.723 casos de pessoas feridas em acidentes. No mesmo período do ano passado, 2015, o número era 936 vezes menor: 6.787 vítimas.

O principal fator para este aumento, segundo o presidente do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza, é o descumprimento das leis de trânsito. “Os motoristas teimam em não cumprir as leis. Eles estão acostumados a não obedecer, por isso acontecem muitos acidentes”, disse.

Álcool, excesso de velocidade e uso de celular ao volante são apontados por Feitoza como as principais infrações que causam acidentes. “Se você pegar qualquer caso, um desses fatores está envolvido”, disse o presidente do Detran. “Só de janeiro a outubro deste ano já multamos mais de 14 mil pessoas dirigindo com celular e mais de cinco mil dirigindo alcoolizadas. E as pessoas sabem que são crimes”, completou.

Entretanto, foi outro motivo que causou o acidente de trânsito envolvendo o lutador de jiu-jitsu Leornado Neves Ferreira, 21, que perdeu a perna esquerda em uma colisão entre moto e carro há um ano e meio em Manaus. Leonardo voltava de motocicleta para casa, após o trabalho, no dia 29 de junho de 2015, quando colidiu de frente contra outro veículo.

“Não teve culpado. O motivo foi a falta de sinalização. Não tinha faixa nem placa lá. Tanto que todo mundo pensa que a via é de duas mãos”, explicou. “Entrei numa curva com a moto ao mesmo tempo que o carro. A minha perna bateu na lateral do veículo dele e já levou. Fui arremessado, mas levantei e fiquei em pé, e comecei a discutir. Quando o cara disse ‘mano, tua perna’! Eu olhei só tinha um pedaço”, explicou Leonardo, que atualmente luta como paratleta do jiu-jitsu pelo Amazonas.

Vítimas fatais

Ao contrário do número de vítimas lesionadas, a quantidade de casos de vítimas que morreram em acidentes de trânsito no Amazonas diminuiu 11% em um ano. De janeiro a outubro de 2015 foram 217 casos de vítimas fatais, e no mesmo período deste ano foram 193 registros. O balanço da SSP-AM sobre acidente foi emitido na última segunda-feira (28).

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.