Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Notícias

Números oficiais mostram que mais de seis mil meninas ficaram sem imunização contra HPV

Balanço da vacinação contra o HPV nas escolas mostra que falta de autorização dos pais e faltas atrapalharam processo



1.jpg Na primeira semana, a campanha imunizou mais de 21 mil meninas de 11 a 13 anos em Manaus e no interior do Amazonas
18/09/2013 às 09:21

A presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de Manaus, vereadora Therezinha Ruiz (DEM), mostrando números oficiais, disse que ao menos 6.686 meninas, estudantes das redes municipal, estadual, com idade entre 11 e 13, não receberam a vacina contra o Papilomavírus humano (HPV) por falta de autorização dos pais ou por terem faltado às aulas no dia da imunização programada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Como a aplicação da vacina deve ser feita na própria escola onde as meninas estudam, é exigida apresentação de autorização por formulário assinado pelos pais ou responsáveis. Os pais precisam ficar atentos para a data de agendamento da vacinação em cada escola. A campanha vem sendo desenvolvida em parceria com o Governo do Estado. No total, 116.532 meninas devem ser vacinadas no estado do Amazonas.

A parlamentar considerou os números como elevados e destacou a necessidade de serem feitas ações de conscientização para que todas as meninas alvo da campanha sejam alcançadas. Ainda segundo o balanço apresentado na Câmara, 39.591 meninas já foram imunizadas, de um total de 52.768 matriculadas nas redes de ensino de Manaus. Na segunda-feira (16), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) iniciou a imunização em 58 escolas que ainda não receberam a campanha. “Quando a campanha atingir as 58 escolas que estão faltando ser beneficiadas com a vacina, esse número será reduzido e começaremos a trabalhar com os pais”, comenta Therezinha.

De acordo com a Semsa, as meninas que já tomaram a primeira dose da vacina contra HPV em agosto, devem tomar outra dose em outubro deste ano e depois em fevereiro de 2014, um intervalo de 60 dias para a segunda dose e 180 dias para a terceira dose. As meninas que estão tomando neste mês de setembro recebem a segunda dose em novembro deste ano e a terceira em março de 2014. “É necessário que todas as crianças que tomaram a primeira dose, recebam também as outras dosagens, para que a imunização seja assegurada por completo”, destacou a parlamentar.

Therezinha Ruiz destaca ainda a importância de se fazer um trabalho de conscientização com os pais que não autorizaram a imunização de suas filhas e também organizar uma lista de segunda chamada para vacinar as alunas que deixaram de ir a escolas na data programada para a imunização. “É preciso que nós estejamos juntos esclarecendo e mostrando aos pais a importância da vacinação, pois a vacina só será aplicada nas crianças com a devida autorização do responsável, e também chamar as alunas que estão autorizadas, mas não se imunizaram”, destaca a parlamentar.

Saiba mais

Câncer de colo

É a sigla em inglês para Papilomavírus Humano. O HPV é capaz de infectar a pele ou as mucosas e possui mais de 100 tipos. Do total, pelo menos 13 têm potencial para causar câncer.

Contato

O HPV é transmitido por contato direto com a pele infectada. Grande parte das infecções é assintomática ou inaparente. Tanto o homem quanto a mulher podem estar infectados pelo vírus sem apresentar sintomas. Entretanto, o vírus é responsável por 95% dos casos de câncer de colo do útero, sendo esta a primeira causa de óbitos em mulheres por câncer no Estado do Amazonas.

Proteção

A prevenção contra o vírus HPV se dá por meio da adoção de medidas de proteção nas relações sexuais e por meio da vacinação na rede pública.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.