Publicidade
Cotidiano
Notícias

'O TCE é fundamental para a democracia', diz José Melo durante a posse de Ari Moutinho

Novo presidente da Corte de Contas do Estado afirmou que a transparência será uma das prioridades de sua gestão e disse que é lamentável ainda encontrar gestores que confundem o público com o privado 22/12/2015 às 15:19
Show 1
Posse reuniu diversas autoridades
acritica.com* Manaus (AM)

Com a presença de prefeitos de várias cidades do Amazonas, deputados estaduais e federais e autoridades do judiciário, tomou posse nesta terça-feira, 22 de dezembro, o novo presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), conselheiro Ari Moutinho Júnior, para comandar pelos próximos dois anos a corte de contas do Estado. Presente à solenidade, o governador José Melo lembrou dos avanços e contribuições do órgão à gestão pública e a classificou como fundamental para o processo democrático por lutar pela boa aplicação da verba pública.

Realizada no auditório do TCE-AM, na Zona Centro-Sul de Manaus, a cerimônia de posse do conselheiro Ari Moutinho marcou o encerramento da gestão do conselheiro Josué Filho, que agora assume a função de coordenador da Escola de Contas do órgão. Moutinho terá como vice-presidente a conselheira Yara Lins.

Em seu discurso de posse, o conselheiro Ari Moutinho Júnior afirmou ser um parceiro entusiasmado para a construção de um Tribunal de Contas cada vez mais forte, competente e alinhado. Além disso, agradeceu e elogiou o conselheiro Josué Cláudio de Souza Filho pelo trabalho realizado nos últimos 2 anos. “Senhores, é tempo de comemorar, abraçar, festejar. É tempo de renovar compromisso, é tempo de construir, é tempo de buscar ajuda para construir e tempo de agradecer o eminente conselheiro Josué Claudio Filho, meu grande amigo, que fez uma belíssima presidência por dois anos que se encerram”, afirmou. 

“Tenho plena consciência da dimensão das responsabilidade do cargo que estou agora assumindo e da necessidade da importância de estimular a Corte Administrativa em prol da sociedade amazonense. Uma difícil empreitada a todo o momento evidenciada. Estou certo que poderei contar com o apoio especial e irrestrito da minha vice-presidente e amiga Yara Amazônia Lins Rodrigues dos Santos e dos não meus menos queridos conselheiros Josué Cláudio de Souza Filho, Julio Pinheiro, Julio Cabral,  Érico Desterro, conselheiro Mario Mello, a quem agradeço a confiança depositada em mim, de forma unânime, para o novo cargo de presidência do Tribunal de Contas”, Ari Moutinho. 

Entre os desafios da nova gestão, Moutinho elencou a transparência como uma das prioridades e disse que é lamentável ainda encontrar gestores que confundem o público com o privado. "O Brasil hoje, de forma geral, vive um grande desafio. Temos que unir esforços e lutar contra essa queda de arrecadação em todas as esferas. Já demos alguns passos importantes com a inauguração da escola de contas, pessoas que são qualificadas para se tornarem olhos avançados desse tribunal. Se conseguirmos nesse momento de crise multiplicar os recursos com a boa aplicação, vamos ter melhor qualidade da segurança, saúde, educação, as obrigações constitucionais do Estado e municípios".

Acompanhado da primeira-dama do Estado, Edilene Gomes de Oliveira, o governador disse que um dos grandes desafios da nova gestão é aprofundar o papel pedagógico. "O Tribunal é um órgão fundamental na democracia e é muito importante no processo da gestão porque é o órgão que fiscaliza a boa aplicação dos recursos que o povo coloca na mão dos gestores, prefeitos, governadores, presidentes de câmara e de todos aqueles que administram o setor público", frisou o governador.

Segundo Melo, a corte de contas amazonense tem atuado de maneira forte na fiscalização e análise da aplicação dos recursos públicos. A postura pedagógica é decisiva para dar maior qualidade aos gastos e inibir irregularidades, disse. "O Tribunal de Contas do nosso Estado tem tido uma postura pedagógica e punitiva como deve ser feito. É uma postura que vem de algum tempo, o Josué (Filho) vinha fazendo isso, e o Ari, que já foi gestor público, vai saber aprimorar ainda mais essa postura. Em uma região como a nossa, grandiosa e de distâncias enormes, é importante que o tribunal atue dessa maneira", destacou.

Unanimidade

Os conselheiros Ari Jorge Moutinho da Costa Júnior e Yara Amazônia Lins Rodrigues dos Santos foram eleitos, por unanimidade, no último dia 25 de novembro. Além deles, serão empossados os conselheiros Júlio Pinheiro e Julio Cabral, respectivamente, como corregedor e ouvidor do TCE-AM para o biênio. O conselheiro Josué Filho, que deixa a presidência do TCE-AM na próxima terça-feira, dia 29 de dezembro, irá coordenar a Escola de Contas Públicas do Tribunal.

*Com informações das assessorias

Publicidade
Publicidade