Publicidade
Cotidiano
Notícias

Oferta de bolsas e programas educacionais aumentam chances de ingressar uma universidade

A grande oferta de bolsas, desde a educação infantil, aumenta as chances dos amazonenses chegarem à universidade. O sistema está cheio desses 'parceiros', só basta saber onde eles estão e o que eles exigem 23/01/2015 às 10:17
Show 1
Candidatos encontram vários caminhos para ingressar na universidade. Basta procurar o que melhor se encaixa no seu perfil e se dedicar aos estudos
nelson brilhante Manaus (AM)

Bolsa Universidade, Prouni, Fies, Sisu, Enem, Programa Educações, Pronatec, dentre outros, são algumas das razões que servem para desarticular qualquer argumento de quem não quer fazer curso superior ou técnico. Foram criados para ajudar aqueles que querem, mas não podem frequentar uma universidade. Para estes, o sonho de consumo é ganhar uma bolsa de estudo, mesmo que seja parcial, ou conseguir notas suficientes, durante três anos, para se livrar dos cansativos vestibulares das instituições federais. O sistema está cheio desses “parceiros”, só basta saber onde eles estão e o que eles exigem.

O primeiro passo é o aluno declarar a renda, mas na fase seguinte, terá que comprovar o faturamento bruto familiar para que seja feito o cálculo do valor. Se estiver enquadrado no limite mínimo exigido, pode começar a comemorar.

Como estamos no período de transição de anos letivos, e muitas datas limites ainda estão em abertas, não é possível saber a média de aproveitamento das ofertas. Mas uma coisa é certa: o sistema é progressivo e isso, automaticamente aumenta o número de bolsas e oportunidades oferecidas.

O Programa Universidade Para Todos (Prouni), instituído pelo Ministério da Educação, oferece bolsas de estudos integrais ou parciais em universidades particulares aos estudantes que não possuem condições de obter esse serviço. As vagas do Prouni 2015 são destinadas a pessoas que tenham realizado Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média igual ou superior a 450 pontos em uma edição do exame, e que não tenha zerado a redação. Condição para bolsa integral: renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio.

Também federal, o Programa de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) financia a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições particulares. Podem recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que esteja “de bem” com o Ministério da Educação. Para fazer o cadastro, o candidato deve ter participado do Enem. Com um fiador, ele pode estudar agora e só pagar depois de se formar. Durante o curso são pagos somente os juros do financiamento, que não passam de 3,4 % ao ano.

O Programa Bolsa Universidade (PBU), da Prefeitura de Manaus, já encerrou seu processo de seleção, com a oferta de 6,8 mil bolsas integrais e parciais.

Programa “doméstico” na briga

Até o dia 31 de janeiro, os candidatos de Manaus poderão disputar seis mil bolsas de graduação e pós-graduação com a assinatura do Programa Educações. Serão ofertados 25 cursos com carga horária entre 360 e 480 horas, com destaque para as áreas de Educação, Contabilidade, Administração, Serviço Social, Saúde e Teologia. Entre os parceiros credenciados estão instituições como: Universidade Nilton Lins, Faculdade Salesiana Dom Bosco, Fucapi, Esbam, Materdei, Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde (Iapes) e Centro de Estudos Teológicos Brasileiro (Ceteo). É preciso ter renda familiar per capita (soma de todas as rendas, dividida pelo número de membros) não acima de três salários mínimos; não estar matriculado em instituição superior e participar, de acordo com sua disponibilidade, de reuniões para atualização acadêmica e ações solidárias, em sua área de formação.

Publicidade
Publicidade