Publicidade
Cotidiano
Notícias

Oficina Escola de Lutheria da Amazônia oferece um curso para produzir violino

O curso terá a duração de dez meses com início previsto para o dia 07 de março, mês em que a instituição comemora o aniversário de 18 anos 26/02/2016 às 09:22
Show 1
Serão 20 vagas distribuídas para turnos da manhã e tarde com aulas presenciais durante duas semanas por mês
acritica. ---

A Oficina Escola de Lutheria da Amazônia (OELA) abre nesta segunda-feira (22) inscrições para o Curso de Lutheria com ênfase na produção de violino. Jovens a partir de 18 anos que tenham concluído o ensino médio podem se inscrever e participar da seleção.

O curso terá a duração de dez meses com início previsto para o dia 07 de março, mês em que a instituição comemora o aniversário de 18 anos de existência. Serão 20 vagas distribuídas para turnos da manhã e tarde com aulas presenciais durante duas semanas por mês.

Para comandar as aulas teóricas e práticas do curso, o professor luthier Jorge Monteiro, que tem formação musical na Orquesta Juan José Landaeta Ciudad Bolívar e no conservatório Simón Bolívar, em Caracas, está chegando a Capital do Amazonas.

Ofertado gratuitamente para comunidade, a seleção de jovens para realizarem o curso acontecerá por etapa, a primeira delas é a inscrição por meio da entrega dos documentos exigidos (Duas fotos 3x4; Certificado do Ensino Médio; Comprovante de Residência; Registro; RG e CPF) na sede da OELA localizada na Rua 22, Quadra O, Nº. 8. Conj. São Cristóvão, Bairro: Zumbi II.

Na segunda etapa, o candidato passará por entrevistas com o objetivo de avaliar o seu interesse socioambiental, além de ser multiplicador desta área do saber. Após a entrevista serão divulgados os nomes dos alunos selecionados para o curso. De acordo com o diretor executivo da OELA, Rubens Gomes, por meio deste curso “Busca-se aliados para a sustentabilidade do processo pedagógico e do ensino da lutheria na Amazônia” comenta.

Antecipando algumas questões que serão abordadas durante o curso, o professor luthier Jorge Monteiro ressalta “A formação terá várias áreas como ferramenta de manipulação, mercado de trabalho, desenho, matemática básica, inglês, é uma capacitação profissional na construção de violinos e também formação como assistentes de lutheria”, destacou.

A abertura das inscrições para o curso encerra a etapa de paralisação deste segmento na instituição ocorrido desde 2013, três anos após a conquista do prêmio de Tecnologia Social da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) na categoria região Norte e nível Nacional, que sucedeu em um projeto que contemplaria pesquisa das madeiras da Amazônia e ofertaria o curso técnico de lutheria que nunca chegou a ser iniciado, devido ao prêmio não ter sido repassado a OELA.

Rubens Gomes destaca, “Esse acontecimento que culminou na paralisação do processo educacional da lutheria na OELA, assim como da produção do Atelier é passado, hoje, tomamos a decisão e daremos mais um presente para os jovens amazônidas, que é o ensino da lutheria para construção de violino” evidencia o também fundador da instituição.

Sabendo da dificuldade no processo de manter corrente o ensino da lutheria na Amazônia, Rubens ainda aborda “Precisamos de apoiadores para esta ideia, sabemos o que fazer para a transformação social, mas, não temos recursos financeiros suficientes para arcar com os custos da atividade” lembra, reforçado os meios de contribuição que empresas de grande porte, empresários e sociedade podem ajudar, como interesse no patrocínio e parceria nos projetos desenvolvidos, além da compra dos violões clássicos disponíveis na sede da instituição.

A OELA foi a primeira escola de lutheria do mundo a conquistar o Selo Verde do Conselho de Manejo Florestal, o Forest Stewardship Council (FSC) e manter a renovação desta certificação até os dias atuais, um reconhecimento importante que respalda a utilização de madeiras certificadas da Amazônia para a fabricação de instrumentos musicais.

Para mais informações, ligue (92) 3017-6761.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade