Sábado, 24 de Agosto de 2019
Notícias

Operação ‘Centro Seguro 8’ apreende mais de dois mil produtos piratas da Adidas

Um representante jurídico da multinacional alemã acompanhou de perto a ação que resultou na tomada de materiais avaliados em R$ 90 mil. A mercadoria falsificada deveria abastecer o comércio informal do Centro de Manaus



1.jpg Operação Centro seguro 8 apreendeu cerca de 2.200 produtos piratas da marca Adidas em depósito do Centro de Manaus.
30/09/2014 às 17:15

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta terça-feira (30) a operação Centro Seguro 8, tendo apreendido cerca de 2.200 produtos piratas da empresa de material esportivo Adidas avaliados em R$ 90 mil. O material estava armazenado em um depósito na rua Santa Isabel, na região central da capital. A ação foi organizada após denúncia da multinacional alemã que solicitou a presença de representante jurídico para acompanhar a apreensão.

A delegada Márcia Chagas, titular da delegacia 1ª Seccional Sul comandou a operação que foi realizada por meio de mandado de busca e apreensão expedido pela 7ª Vara Criminal. Segundo a Chagas, a operação ocorreu depois que representantes da Adidas em Manaus procuraram o órgão para denunciar um depósito que continha produtos falsificados da marca de material esportivo.

Desde julho deste ano, investigadores da seccional monitoravam o local e ficou constatado que realmente havia produtos piratas da multinacional. “As investigações duraram três meses, logo após nós sermos notificados do caso pelos representantes da marca”, confirmou a titular da 1ª Seccional Sul.

Durante a operação, que teve o apoio da Secretaria Municipal do Centro (Semc), Secretaria Municipal de Finanças (Semef), equipe de policiais do Grupo Especial de Resgate e Assalto (Fera), agentes da Seccional Sul e do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o dono do depósito onde estava a mercadoria cooperou com as autoridades.


O dono do local, que não teve o nome revelado, responderá pelos crimes crimes contra a propriedade industrial e material (Artigos 189, 190 e 195 da Lei nº 9.279/96), além de crimes contra a ordem econômica e tributária e relações de consumo (Artigo 1º da Lei nº 8.137/90). “Não lavramos o flagrante porque nesse caso ele colaborou com a polícia, entregando a mercadoria do depósito e ajudando a fazer toda a contabilidade do material. Agora vamos instaurar o inquérito policial e ele responderá ao processo em liberdade”, relatou a delegada.

No local foram encontrados camisas, shorts meiões, chuteiras, bolas e jaquetas todas com a logomarca da multinacional alemã, avaliadas em R$ 90 mil. A mercadoria apreendida ficará sob a responsabilidade dos representantes oficiais da empresa lesada e à disposição da Justiça.

O que chamou a atenção na ação organizada pela polícia foi a presença da advogada Michelle Tachy, representante jurídica da marca em Manaus. A patrona da Adidas na capital não pode entrar em detalhes sobre os dados mais específicos da operação ou qual os valores a empresa sofre com prejuízo com a pirataria no Estado. Mas nos adiantou que os combates aos produtos falsificados da marca se tornarão cada vez mais constantes na cidade.

Tachy representa o escritório jurídico David do Nascimento Advogados Associados, baseado em São Paulo, que possui um departamento especializado na execução de direitos da propriedade intelectual. Responsável pela adoção e acompanhamento das medidas cabíveis, civis e criminais, perante quaisquer instâncias ou tribunais, contra pirataria e quaisquer contrafações.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.