Publicidade
Cotidiano
AÇÃO

Operação 'Dark Side' da Polícia Civil prende 17 pessoas por crimes distintos em Iranduba

Oficiais cumpriram 20 mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão. Presos cometeram crimes distintos relacionados ao tráfico de drogas e homicídios 05/07/2018 às 17:41
Show fotos erlon rodrigues pcam  26
(Erlon Rodrigues / Assessoria da PC)
acritica.com Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas deflagrou, na madrugada desta quinta-feira (5), no município de Iranduba, distante 27 quilômetros em linha reta da capital, a operação “Dark Side”, que culminou no cumprimento de 20 mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão. O resultado foi a prisão de 17 pessoas. Além da prisão de um indivíduo, em flagrante, por tráfico de drogas. Entre eles, um jovem de 18 anos foi apreendido em cumprimento a mandado de internação por ato infracional análogo ao crime de homicídio.

O balanço da operação foi divulgado durante coletiva de imprensa realizada nesta manhã, às 9h30, no prédio da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), daquele município. Coordenada pelo delegado-geral adjunto da instituição, Antonio Chicre Neto, e pelas delegadas Sylvia Laurena e Suely Costa, titular e adjunta, respectivamente, da 31ª DIP. A ação, iniciada por volta das 5h, teve por objetivo desarticular o tráfico de drogas no município, que resulta em outros delitos, como homicídios, roubos e furtos.

“As investigações em torno da operação duraram cerca de dez meses. Os trabalhos tiveram por finalidade combater o tráfico de drogas, roubo, furto, receptação e homicídios. Empregamos efetivo de 130 policiais civis, onde foram cumpridas, no total, 38 ordens judiciais, sendo 20 mandados de prisão, 17 de busca e apreensão e um mandado de internação. Dos mandados de prisão resultaram as prisões de 14 pessoas, além da apreensão de um jovem e o cumprimento de cinco mandados em nome de três indivíduos que cumprem pena em presídios da capital”, disse Chicre Neto.

Presos

Foram presos em cumprimento a mandados de prisão Alfredo Batista de Castro, 33, por crime ambiental; Aris Mariane Nascimento da Silva, 22, por homicídio; Dennis Barbosa Cariolano, 32, por homicídio; Fátima Alves Sias, 49, por furto; Jonatha Costa Guimarães, 22, o “Ben 10”, por tráfico de drogas; Jorge Coelho de Lima, 27, o “Jorginho”, por tráfico de drogas; Luzenilda Caetano Montenegro, 31, por tráfico de drogas; e Matheus Ramalho da Costa, 18, o “Theuzinho”, por furto.

Núbia Marinho da Rocha, 41, por tráfico de drogas; Paulo Henrique Lima dos Santos, 24, o “Paulinho”, por roubo; Weslein Luiz Nascimento Barros, 22, o “Pimpolho”, por tráfico de drogas, e William Batista da Silva, 25, por tráfico de drogas. Em nome de Joanderson Pereira da Silva, 18, o “Careca”, foram cumpridos dois mandados de prisão, sendo um por homicídio e outro por roubo.

Alderley Ferreira Mores, 40, o “Cabelo”, foi preso em flagrante, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão por tráfico de drogas. Um jovem de 18 anos foi apreendido durante a operação. Segundo a delegada Sylvia Laureana, ele é um dos autores de um homicídio ocorrido no dia 7 de outubro de 2017, no Distrito de Cacau Pirêra, e teve como vítima Claudio Ferreira da Silva. Na ocasião, o infrator era adolescente.

Mandados cumpridos nos presídios

Ao longo da operação, os policiais civis cumpriram no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) três mandados de prisão, pelos crimes de homicídio, tráfico de drogas e associação criminosa, em nome de Adson Dias da Silva. O infrator está cumprindo pena no CDPM pelo homicídio da líder da Comunidade Portelinha Maria das Dores Salvador Priante, ocorrido no dia 12 de agosto de 2015 e, segundo as investigações, continua comandando, de dentro da unidade prisional, o tráfico de drogas e execuções nas Comunidades Serra Baixa e Portelinha.

Outros dois mandados foram cumpridos no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), em nome de Despaygne Vieira Trindade, por tráfico de drogas, e Magno Carvalho Pinheiro, o “Chapa”, por homicídio.

Materiais apreendidos

Durante os trabalhos foram apreendidas duas motocicletas, uma espingarda calibre 16, quatro celulares, uma porção de oxi, além de dois motores de popa e uma roçadeira. Todos oriundos do tráfico de drogas.

“Em mais uma atuação da Polícia Civil, estamos demonstrando que não adianta as pessoas continuarem do lado negro aqui no município. Com o trabalho da 31ª DIP, essa operação resultou nas prisões desses elementos por crimes resultantes do tráfico de drogas em Iranduba. Três dos alvos, mesmo presos, ainda comandavam a distribuição de drogas e determinava execuções no município de dentro das unidades prisionais”, explicou a titular da 31ª DIP.

A delegada adjunta destacou que a operação “Dark Side” prendeu não apenas os vendedores de drogas, mas também os indivíduos que gerenciavam a venda de entorpecentes naquele município. 

“Com certeza, as facções da capital migram para Iranduba. Nós estamos trabalhando de forma efetiva, prendendo esses infratores realmente em Iranduba, indiciando e representando pelas prisões desses pessoas que atuam como “gerentes do tráfico”. Hoje a nossa operação atuou tanto com esses comandos quanto com os gerentes e, também, com os soldados do tráfico de drogas”, pontuou a delegada Suely Costa.

Ao término dos procedimentos cabíveis na 31ª DIP, as quatro mulheres serão levadas ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) e os 10 homens ao CDPM. O adolescente será encaminhado ao Centro de Internação Provisória da Infância, em Manaus.

Publicidade
Publicidade