Publicidade
Cotidiano
APOIO

Operação de vistoria dos barcos que vão a Parintins custou R$ 330 mil à Marinha

Até quinta-feira (29), 104 barcos, com mais de 12,3 mil passageiros a bordo, foram inspecionados pela Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental 30/06/2017 às 05:00
Show marinha
Mais de 100 embarcações vistoriadas. Foto: Winnetou Almeida
Mayrlla Motta Manaus (AM)

A Marinha do Brasil gastou R$ 330 mil na operação de Vistoria Especial de mais de 170 embarcações que levarão os torcedores do Caprichoso e Garantido para assistir ao 52º Festival Folclórico de Parintins, na Ilha Tupinambarana (a 365 quilômetros de Manaus). Até quinta-feira (29), 104 barcos, com mais de 12,3 mil  passageiros a bordo, foram inspecionados pela Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC). Espera-se que até 12h desta sexta-feira, mais 70 passem pela vistoria.

Desse total de embarcações fiscalizadas, 31 foram notificadas. Entre as principais ocorrências foram documentos em desacordo com as Normas da Autoridade Marítima. De acordo com o capitão dos portos, Wellinton Lopes, são vistoriados itens de segurança como colete salva-vidas, boias, habilitação do comandante e do barco, além do excesso de passageiros.

“São itens mínimos de segurança. Já encontramos condutores que nem o RG trouxe. O passageiro, muita das vezes, só está preocupado com a diversão e não se atenta para essas coisas. É um dever também do viajante verificar se o barco está em condições de viagem, bem como a falta de quaisquer itens de segurança”, afirma.

Os barcos com destino a Parintins são vistoriados, primeiramente, no porto da Manaus Moderna, para depois passar pela vistoria do CFAOC. “Todos os barcos receberam um “passe”, onde sinaliza que ele já foi vistoriado no porto para agilizar a fiscalização que dura de 20 a 35 minutos”, complementa. O mesmo procedimento deve ocorrer na volta para a capital.

A operação vai até 3 de julho nos postos fixos de inspeção.

Publicidade
Publicidade