Publicidade
Cotidiano
Notícias

Órgãos multam igreja por ausência de licença ambiental e obra irregular em Manaus

A fiscalização do Implurb e Semmas foi realizada durante um culto em imóvel que tivera obra embargada anteriormente; houve tumulto e policiais militares da Ronda do Bairro tiveram de ser chamados 24/06/2013 às 21:53
Show 1
De acordo com Roberto, além do barulho provocado pela obra durante a noite, a construção está causando rachaduras
Bruno Strahm Manaus (AM)

Uma fiscalização surpresa do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) no início da noite desta segunda-feira (24) resultou em multa para os responsáveis pela Igreja do Avivamento Jesus Cristo é o Senhor, localizada na Avenida Constantino Nery, na altura do Terminal 1, Centro de Manaus. A multa ocorreu  por ausência de Licença Ambiental e por “aumento volumétrico” de uma obra embargada há duas semanas atrás.

Houve tumulto entre seguranças da igreja que não quiseram permitir a entrada dos fiscais por ser a hora do culto, e policiais militares da Ronda do Bairro tiveram de ser chamados para permitir o trabalho dos agentes dos dois órgãos.

Segundo comprovação dos fiscais do Implurb, o local não tinha autorização para iniciar a obra de colocação de um teto que cobre o terreno, além da colocação de um portão e gradil. “Verificamos que após o embargo da obra houve progressão de volume nas obras, ou seja, ela está maior do que estava na época que a igreja foi impedida de continuar. Além disso, há outras irregularidades como a não apresentação do documento do imóvel e do projeto da obra assinado pelo engenheiro responsável. As multas aplicadas já chegam a R$ 6 mil”, disse um fiscal do órgão.

Já a Semmas aplicou multa porque a igreja não possui licença ambiental para o uso de aparelho de som, caso desejem usá-lo. Eles verificaram que há muita reclamação dos vizinhos por conta do volume do som durante os cultos.

O pastor Aroldo Teles afirma que ele e sua congregação estão sendo vítimas de uma perseguição arquitetada por um vizinho e por uma ex- pastora da igreja, que pertencia à direção da mesma. “Existe um senhor chamado Roberto Gomes que mora na casa ao lado com quem tenho problemas na justça. Ele afirma que seu terreno foi danificado com a obra, mas isso é mentira. Já a senhora Irma Torres, que foi expulsa da igreja está nos processando e quer tomar o terreno que foi comprado com dinheiro dos nossos 1,5 mil fiéis”.

O pastor Aroldo afirmou que vai acatar as orientações dos órgãos competentes. “Já contratei um engenheiro e um arquiteto, no próximo dia 10 darei entrada nos documentos necessários no Implurb para terminar a obra definitivamente e acabar com este pesadelo”, desabafou.

O vizinho citado, Roberto Gomes, comentou que realmente informa periodicamente os órgãos competentes sobre a obra irregular na igreja por temer que sua casa, que fica ao lado da congregação, caia. “A parede da minha casa já está completamente danificada por esta irresponsabilidade deles. Eles não tem a mínima estrutura para continuar com esses cultos que são feitos por lá. No último sábado (22) a noite quando cheguei em casa eu flagrei dois jovens da igreja urinando em frente a minha casa porque nem banheiro lá dentro eles tem. Esta ex-pastora que foi expulsa da igreja é nada mais que a ex-esposa do pastor Aroldo Teles, que agora quer a partilha de bens do casal. Há sete anos, desde que eles se mudaram para cá, minha vida se tornou muito difícil”, lamenta Roberto Gomes, que nega ter feito ameaças ao pastor.  

Publicidade
Publicidade