Publicidade
Cotidiano
Notícias

Orquestra Barroca do Amazonas começa 2ª temporada com apresentações em MG e RJ

Em março, o Projeto Ópera no Brasil Colonial visitará Ouro Preto, Mariana, Tiradentes e São João Del Rey em MG e Petrópolis, Niterói e Rio de Janeiro no RJ 03/03/2015 às 17:48
Show 1
A orquestra já se apresentou em locais ilustres, como o Palácio de Queluz, em Portugal (foto)
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A Orquestra Barroca do Amazonas (OBA), especializada no repertório lírico luso-brasileiro do período colonial, retoma a turnê do projeto “Ópera no Brasil Colonial” que traz repertório inédito de músicas brasileiras do Século 18.

Com patrocínio da Petrobras, de 14 a 22 de março os músicos se apresentam e lançam CD com o mesmo nome do projeto nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, na segunda etapa intitulada "O caminho do ouro e das especiarias: do Rio ao planalto", que também englobará cidades de São Paulo e Paraná, além do Amazonas.

Em Minas Gerais, as apresentações serão nas cidades históricas de Ouro Preto (14/03), Mariana (15/03), São João Del Rey (17/03) e Tiradentes (18/03). Em seguida, a OBA se apresenta no Rio de Janeiro (20/03), Petrópolis (21/03) e Niterói (22/03).

O repertório inédito, que se transformou no CD Ópera no Brasil Colonial, é composto por árias a solo ou em duos, trios e quartetos, com acompanhamento orquestral, extraídas das óperas Capitão Belizário, A Mulher Amoroza, As Variedades de Proteu, Precipício de Faetonte, Dido Desamparada, Guerras do Alecrim e Mangerona e Demetrio, com música de diversos autores do século XVIII, sendo obras relacionadas ao Brasil daquela época. A OBA dispõe de fontes musicais provenientes de diversos acervos de Brasil e Portugal.

Primeira temporada

Na primeira etapa do projeto, intitulada Do Nordeste litorâneo ao sertão da Amazônia", a OBA se apresentou em Manaus, Itacoatiara e Manacapuru, no Amazonas; Salvador (BA); Recife e Olinda (PE); João Pessoa (PB); e Fortaleza (CE).

O trabalho inédito foi registrado no CD Ópera no Brasil Colonial, gravado em Belém, no Museu Histórico do Estado do Pará, em março de 2014. Com tiragem de 1000 cópias, metade será distribuída gratuitamente no país às instituições de apoio à cultura. A outra metade pode ser adquirida comercialmente pela Amazon.com em âmbito internacional.

O grupo artístico integrado por cantores e instrumentistas, do Brasil e do exterior, se apresenta em média com 10 pessoas e fará 27 concertos em dois anos. O cenário de suas apresentações são espaços históricos (teatros, igrejas, paços) de acesso público gratuito. Os concertos são de 75 minutos, semi-encenados, em formato didático, com apoio de material impresso distribuído ao público.


Publicidade
Publicidade