Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
EFEITO PESTE SUÍNA

País contabiliza mais de 13 milhões de toneladas de frangos em 2019

Aumento da produção da carne de frango no Brasil este ano, em relação ao ano passado, está ligado à crise sanitária chinesa. No Amazonas, a avicultura de corte ainda é tímida



frangos_3A0B7C7D-B020-4FD1-8AC9-276DA4AC798C.JPG Foto: Winnetou Almeida
14/12/2019 às 18:51

O ano fechará em alta para os produtores de aves e suínos no país. A produção de carne de frango cresceu 2,3% passando de 12,8 milhões de toneladas, em 2018, para 13,1 milhões de toneladas neste ano, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). A previsão é de que a produção e exportação dessas proteínas mantenham ritmo positivo em 2020.

O setor avalia que o impacto na expansão das vendas para o exterior esteve diretamente ligado à crise sanitária da China, com focos de peste suína africana, que resultou na elevação das importações de carnes de frango e suínas brasileiras. As exportações de frango devem registrar aumento de 2,4% e alcançar 4,2 milhões de toneladas até o final do ano. O consumo interno, da mesma forma, vem crescendo: passará de 41,7 toneladas para 42,6 toneladas – variação de 2,2%.



No Amazonas, a avicultura de corte ainda é tímida. De acordo com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), o Estado possui 73 mil aves e encerrou 2018 com a produção de 1,2 mil toneladas.

Por outro lado, a avicultura caipira detém 15,7 mil criadores que somam 713,4 mil aves. No ano passado, a produção de carne de frango caipira foi de 988 toneladas e de ovos, correspondeu a 117,2 mil caixas. As aves de descarte, provenientes das granjas produtoras de ovos, totalizam 2,4 milhões com produção de 744,2 toneladas. O instituto ainda não concluiu o balanço da produção deste ano.

Para o secretário estadual de Produção Rural (Sepror), Petrucio Magalhães o aumento da produção reflete a confiança na recuperação da economia do país. “O PIB do Amazonas já reflete o crescimento do setor agropecuário. O terceiro trimestre aponta o crescimento 9,5% do setor agropecuário amazonense reflexo do plano safra do governo do estado e  de toda a política de interiorização de desenvolvimento econômico”, disse.

O titular da Sepror avalia que a tendência de crescimento deve permanecer nos próximos meses e os produtores precisam preparar-se para atender a demanda do consumo interno e externo.

O presidente da ABPA, Francisco Turra declarou à imprensa, na última semana, que mesmo com a demanda externa crescendo, não haverá desabastecimento do mercado interno, porque 70% da produção de aves e 80% da produção de suínos fica no Brasil.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no terceiro trimestre deste ano o abate de frangos cresceu 3,3% na comparação com o segundo trimestre deste ano e 3,1% na comparação com o terceiro trimestre do ano passado. Enquanto o de suínos teve altas de 2,7% em relação ao trimestre anterior e 0,9% em relação ao terceiro trimestre de 2018.

Produção de ovos supera recorde anterior

A produção de ovos de galinha no país atingiu a marca de 964,89 milhões de dúzias no terceiro trimestre deste ano. Essa foi a maior produção trimestral do item desde o início da série histórica da pesquisa, em 1987.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção superou em 0,7% o recorde anterior, que havia sido registrado no segundo trimestre deste ano, e em 4,3% a produção do terceiro trimestre de 2018.

Os dados da Associação Brasileira de Proteína Animal revelam ainda que a produção nacional de ovos deve totalizar 49 bilhões de unidades em 2019, 10% a mais do que em 2018. Apesar da alta na produção, as exportações devem registrar queda de 30% no volume, passando de 11,6 mil toneladas para 8 mil toneladas.

Em 2018, o Amazonas produziu 1,4 milhão de caixas de ovos, com 360 unidades cada, segundo estatísticas do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal Sustentável do Amazonas (Idam). O Estado é o 5º maior polo do Brasil de produção de ovos.

O Amazonas possui 2,5 milhões de aves de postura que correspondem a aproximadamente 90% da produção de ovos, segundo a Associação Amazonense de Avicultura (AAMA). Manaus deixou de ser auto suficiente e é fácil encontrar ovos de granjas de outros estados, principalmente, do Mato Grosso nas redes de supermercados da capital, com valor cerca de 25% mais barato que os regionais.

O Idam estima a atuação de 327 criadores na avicultura de postura atendendo o consumo da capital e do interior do estado. Conforme o instituto, as granjas dispõem apenas do serviço de inspeção estadual, sendo necessário para a exportação do produto o selo (certificação) do Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Segundo o secretário estadual de produção rural, Petrucio  Pereira de Magalhães Júnior, a produção de ovos, antes concentrada na Região Metropolitana de Manaus e no eixo das rodovias,  está crescendo para o interior do estado.

“Temos um consumo elevado de ovos com produção tecnificada que vem crescendo, inclusive, acima da média. Os dados mostram que municípios que não tinham tanta tradição estão se tornando auto suficientes. Novo Airão já dispõe de grandes granjas para atender a demanda dos turistas. O consumo no interior é muito alto”, declarou.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.