Sábado, 17 de Abril de 2021
BAIXO DESEMPENHO

Pandemia impõe nova queda na produção industrial do AM em fevereiro

Após ter caído 10,9% em janeiro, desempenho é novamente fraco e fecha fevereiro com retração de 1,1%



show_show_show_agora_setor_industrial_1_B2AAE786-A8ED-444E-80B7-4ACBB4D02E0F.jpg Foto: Divulgação
08/04/2021 às 13:53

Com uma queda de 10,9 % registrada no mês de janeiro, a produção industrial do Amazonas sofreu novo retrocesso no mês de fevereiro, quando apresentou nova retração de 1,1%, correspondendo a 0,9% em relação ao mês anterior. Os dados são da pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo elenca também a sequência de retração da produção industrial amazonense que, em dezembro de 2020 teve uma queda de -5,7%, contra a variação positiva da indústria nacional que permaneceu em 0,8% naquele mês e 0,4% em janeiro.

Para o Supervisor de Disseminação de Informações, Adjalma Nogueira, a principal causa da “patinação” da indústria amazonense nesses primeiros meses de 2021 foram os efeitos da pandemia de Coronavírus. “Esse resultado dessa queda é fruto, exatamente, do fraco despenho de 6 das 10 atividades que IBGE a pesquisa, mensalmente, no Polo Industrial. Certamente que a pandemia do COVID-19 tem impactado diretamente o Polo Industrial, no sentido de que ele não está produzindo porque não tem demanda. As vendas estão baixas em todo país. Então, isso provoca, sim, uma queda muito brusca na nossa produção. Por outro lado, tem as questões logísticas e certamente questão de matéria prima, que também pode estar afetando. Nesse sentido o início do ano indica um desempenho muito fraco, com acúmulo, em queda de quase 10% para atividade industrial do estado. Se formos considerar os três últimos meses da pesquisa, nós vemos que a média móvel trimestral já indica os próximos meses com desempenho fraco. Nesse sentido a Indústria amazonense está “patinando” nos primeiros meses de 2021”, disse Adjalma.



Em comparação a janeiro e fevereiro, a queda foi de 9,9%. No ano¨, a variação foi de -9,8%, depois de -9,7% no mês anterior. O Amazonas teve o segundo pior desempenho na variação acumulada do ano, entre as unidades pesquisas, em fevereiro. Em contrapartida, a indústria nacional fechou um mesmo período no azul com a porcentagem positiva 1,3%.

Em relação aos últimos 12 meses, fevereiro em -7,3%, contra -4,2% de desempenho nacional.

Variação janeiro

Em comparação ao mês anterior, o desempenho da indústria amazonense em fevereiro foi de -0,9%, em relação ao mês de janeiro, considerado o 6º melhor, ainda que negativo, na comparação entre as 15 unidades da federação pesquisadas. Ficaram atrás do Amazonas as produções industriais do Ceará (-7,7%), Pará (-7,4%) e Bahia (-5,8%).

Melhores que o Amazonas foram as produções industriais do Mato Grosso (7,3%), Espírito Santo (4,6%) e Goiás (2,0%).

Variação mensal

No quesito variação mensal, o Amazonas teve um desempenho da indústria de -9,9%, no mês de fevereiro. Em relação a fevereiro de 2020, o estado ficou com o 4º pior resultado entre as unidades da federação pesquisadas. Empatadas no quesito estão Bahia (-13,9%) e Pará (-13,9%) e seguidas do Espírito Santo (-11,5%). E os melhores resultados obtidos em comparação ao mês de fevereiro de 2020 estão os desempenhos de Santa Catarina, com 8,1%, Rio Grande do Sul, com 7,9%, e Minas Gerais, com 5,8%.

Atividades

As atividades com maior queda nesse período foram Impressão e reprodução de DVDs e discos (-71,1%), a categoria “Outros equipamentos de transporte” (-26,1%), a Fabricação de bebidas (-23,5%), Indústrias de transformação (-10,1%), a Fabricação de equipamentos de informática, eletrônicos e ópticos (-5,1%), Indústrias Extrativas (4,9%) e a Fabricação de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-2,5%).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.