Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Crianças educadas financeiramente viram adultos responsáveis, dizem especialistas

A contenção de gastos na infância não é uma tarefa simples em um cenário repleto de convites ao consumo



m_e_3435A38E-7E01-4358-A7A6-6430EF12FF93.JPG Ponto fundamental destacado por profissionais é que o exemplo deve partir dos pais. Foto: Reprodução
29/10/2018 às 08:05

Em um mundo cada vez mais capitalista, um desafio frequente é ensinar as crianças a exercerem um consumo mais consciente. As vitrines estão repletas de produtos que enchem os olhos dos pequenos. Comerciais de TV, programas de entretenimento ou mesmo uma simples visitação ao shopping podem deixar os pais em sinal de alerta! Em um cenário repleto de convites ao consumo, a contenção de gastos na infância, não é uma tarefa simples. Qual seria a melhor maneira de educar financeiramente uma criança e fazer com que desde os primeiros anos de vida, ela desenvolva a consciência necessária sobre finanças, e se torne no futuro um adulto com os gastos controlados?

Segundo a educadora financeira e Vice-Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros - Abefin, Glauce Galúcio, é possível despertar a conscientização do consumo ainda na primeira fase da vida.



“Há quem pense que as crianças não têm discernimento para lidar com finanças, porém com a minha experiência notei que aos dois anos de idade, elas já reconhecem o dinheiro como um meio para realizar sonhos. Isso nos faz acreditar em uma nova geração de pessoas independentes financeiramente, mais realizadas e felizes”, diz.

Esse controle é possível por meio de algumas técnicas lúdicas destacadas pela a especialista, como explicar para que serve a mesada e a importância de economizar; convencer a criança que nem todo presente precisa, necessariamente ser material; entre outros.  Outro ponto fundamental destacado por Glauce é que o exemplo deve partir dos pais.

“As crianças são observadoras e aprendem muito pelo exemplo, portanto é importante que os pais tenham educação financeira, poupem para conquistar seus próprios sonhos e consumam de forma consciente”, conclui.

Resultados

A criança ensinada hoje será  o adulto consciente de amanhã. E por isso os pais têm buscado orientações com profissionais sobre como educar financeiramente os pequenos e desenvolver neles um consumo mais consciente.

A economista e terapeuta financeira, Mônica Damasceno, já levou o filho Iuric, de 6 anos de idade a palestras e oficinas sobre educação financeira para crianças, e observa mudanças positivas.   

“Meu filho está aprendendo de uma forma lúdica o que é economizar, e qual a importância disso para conseguir realizar sonhos. Em casa, ele também está mais cuidadoso com as lâmpadas acesas, ao abrir a porta da geladeira e também no chuveiro. Consequentemente, conseguimos reduzir o valor das despesas mensais com energia elétrica e água”, conta.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.