Publicidade
Cotidiano
Notícias

Para titular da Sejus, suposta fuga no Compaj foi 'jogada política'

Segundo a o coronel Bonates, da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) o número oficial de detentos que pularam o muro da unidade só deve ser confirmado após a contagem dos presos que tem previsão para iniciar as 19 h 14/09/2014 às 11:59
Show 1
De acordo com o sargento Rodrigo da Ronda Ostensiva Candido Mariano (Rocam) a fuga dos presos foi presenciada por um dos vigilantes
Jéssica Vasconcelos Manaus (AM)

Pelo menos sete detentos do regime semiaberto saíram do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), situado no quilômetro oito da rodovia BR-174, pulando o muro da unidade no inicio da tarde deste sábado (13), segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus).

De acordo com o secretario titular da Sejus, coronel Louismar Bonates, os detentos pularam o muro e depois voltaram. O coronel atribuiu a informação de uma fuga em massa a uma "jogada política" para tentar desestabilizar o governo e sua gestão.  “Eles ficam no entorno e voltam. Por ser um dia de visita não havia necessidade nenhuma de tentarem fugir”, disse o coronel.

Ainda segundo a Sejus, o número oficial de detentos que pularam o muro da unidade só deve ser confirmado após a contagem dos presos que tem previsão para iniciar as 19 h. Por se tratar de um regime diferenciado a assessoria de comunicação da secretaria informou que há uma dificuldade maior em identificar os presos antes, pois alguns que tem autorização para trabalhar e estudar e só retornam ao presídio no inicio da noite.

“Depois da recontagem é que vai ser possível dizer o motivo pelo qual eles pularam o muro  e o que realmente aconteceu”, frisou a assessoria de imprensa do órgão estadual.

De acordo com o sargento Rodrigo da Ronda Ostensiva Candido Mariano (Rocam), a fuga dos presos foi presenciada por um dos vigilantes da guarita do regime fechado que acionou os responsáveis pelo regime semiaberto. O sargento disse ainda que o vigilante informou ter visto cerca de 15  presos pulando o muro.

Enquanto não há a confirmação oficial, duas viaturas da Rocam seguem fazendo a ronda do ramal de acesso ao presídio.


Publicidade
Publicidade