Publicidade
Cotidiano
Antes da campanha nacional

Amazonas usa até videoconferência para vacinar 940 mil pessoas contra a Influenza

Fundação de Vigilância em Saúde e coordenadoria estadual do Programa de Imunização alinham as ações junto aos secretários municipais de saúde para a o período de vacinação entre 30 deste mês e 20 de maio 14/04/2016 às 05:00 - Atualizado em 14/04/2016 às 09:13
Show jiuuyo
Videoconferência foi transmitida pelo Centro de Mídias da Secretaria de Estado de Educação (Antônio Menezes)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), reuniu nesta quarta (13), por meio de videoconferência, com os secretários municipais de saúde e coordenadores do programa de imunização do interior do Amazonas. O objetivo foi alinhar as ações que serão executadas para a Campanha Nacional contra a Influenza, que tem início no próximo dia 30, data da mobilização nacional, e se estenderá até dia 20 de maio.

A videoconferência foi transmitida pelo Centro de Mídias da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e teve participação do diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, e da coordenadora estadual do Programa de Imunização, Izabel Nascimento.

A meta é imunizar aproximadamente 940 mil pessoas no Amazonas nos grupos chamados prioritários (grávidas; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); crianças a partir de 6 meses a menores de cinco anos; pessoas com mais de 60 anos; trabalhadores da saúde; população privada de liberdade e; doentes crônicos).

A principal orientação repassada aos interioranos para a imunização contra a Influenza, de acordo com o diretor-presidente Bernardino Albuquerque, foi o de "investir na maior cobertura possível principamente dos grupos mais vulneráveis de risco, até porque o País está sob ameaça de reintrodução do vírus em função do que se vive no Sudeste do País”.

Ontem, os municípios também foram imbuídos de iniciar suas campanhas nas zonas rural e indígena.

O Ministério da Saúde informou que vai disponibilizar 1 milhão de doses para todo o Estado, sendo que 50% do total desse lote das vacinas já chegou ao Amazonas e foi distribuído prioritariamente para 49 municípios mais distantes do Estado e em face da dificuldade de logística, como por exemplo Eirunepé (a 1.160 de Manaus) ou Boca do Acre (1 1.028km), apenas para citar duas cidades.

A segunda cota deve chegar até amanhã (15) para abastecer as 15 cidades restantes, entre elas a capital Manaus, responsável por um universo de 400 mil pessoas que serão contempladas pela vacina”, disse a coordenadora Izabel Nascimento.

“Nossa expectativa é positiva e esperamos que, diferente do ano anterior, não precisemos prorrogar a campanha”, ressaltou ela.

2 casos de H1N1

foram confirmados até agora neste ano no Amazonas, sendo 1 óbito. Não houve registro da doença em 2015; em 2014 foram 14 casos de H1N1 com 5 óbitos; em 2013 foram 3 registros confirmados e nenhum óbito. Já em 2012 foram 9 casos com 2 óbitos.

Queda de energia preocupa interior

As constantes interrupções de energia na rede elétrica em algumas cidades do interior do Estado, que comprometem ações como vacinações e, por conseguinte, o sistema de saúde, foram algumas das preocupações abordadas pelos interioranos na videoconferência de ontem. Representações como o Careiro-Castanho cobraram a instalação de geradores na cidade.

Monitorar é essencial, informa FVS

A Fundação de Vigilância em Saúde intensificou o monitoramento dos casos com o quadro clínico de Síndrome Respiratória Agudo Grave (SRAG), nas unidades de saúde pública e privada.    A recomendação da FVS é que os pacientes considerados suspeitos de H1N1 devem iniciar o tratamento imediato com o uso do tamiflu, antes mesmo da comprovação laboratorial.

A rede de saúde está abastecida com tamiflu na capital e no interior, informa a instituição.

Publicidade
Publicidade