Publicidade
Cotidiano
Notícias

Paralisação parcial dos funcionários dos Correios chega ao fim nesta quarta-feira (24)

A empresa continua à disposição dos sindicatos que queiram assinar o acordo para estender todos os benefícios conquistados para suas bases 24/09/2014 às 19:20
Show 1
O movimento, parcial e de curta duração, não causou impacto significativo na distribuição de cartas e encomendas
acritica.com ---

Os quatro Estados que ainda participavam da paralisação parcial nos Correios decidiram encerrar o movimento nesta quarta-feira (24). Os Correios e as entidades sindicais assinaram  o Acordo Coletivo de Trabalho, em reunião no Tribunal Superior do Trabalho.

Os sindicatos de Rondônia, Tocantins, Bauru (SP), São Paulo Capital, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro, da Findect, e os sindicatos de Acre, Alagoas, Amapá, Brasília, Espírito Santo, Goiás, Juiz de Fora (MG), Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Ribeirão Preto (SP), Uberaba (MG), Santa Maria (RS) e Santos (SP) fecharam o acordo no Tribunal Superior do Trabalho, na presença do vice-presidente do TST, ministro Ives Gandra. Essas bases representam mais de 70% dos empregados.

A empresa continua à disposição dos sindicatos que queiram assinar o acordo para estender todos os benefícios conquistados para suas bases.

O movimento, parcial e de curta duração, não causou impacto significativo na distribuição de cartas e encomendas. Quase toda a carga está em dia em todo Brasil. Nas poucas localidades onde se registra atraso, a expectativa é normalizar até o sábado (27).

O acordo assinado pelos sindicatos contempla reajuste de R$ 200 em forma de gratificação, nos salários de quem recebe de R$ 1.084 a R$ 3.077,00. Para quem recebe acima de R$ 3.077,00, a gratificação é de 6,5% na referência salarial. Essas gratificações serão incorporadas gradualmente nos salários.

 O reajuste representa um aumento de cerca de 20% sobre o salário base dos agentes de Correios (carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo) e abrange a maior parte do efetivo da empresa). Além disso, os empregados passam a receber R$ 188,58 de vale-cesta e 3 unidades extras de vale alimentação/refeição por mês, com valor de R$ 30,13 cada (o total mensal passa de R$ 650,67 para R$ 783,38 no caso de quem trabalha 5 dias por semana; e de R$ 763,83 para R$ 903,90 no caso de quem trabalha 6 dias por semana).

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade