Publicidade
Cotidiano
Notícias

Parintins está abaixo na riqueza econômica mas é bem classificada no quesito de bem-estar

Estudo mostra que a cidade dos bumbás ficou em 75º no ranking do progresso social apesar de ser só a 396ª mais rica 07/09/2014 às 11:59
Show 1
O acesso à cultura, principalmente a que gira em torno dos bumbás Garantido e Caprichoso, ajudou a cidade a conseguir uma boa colocação no ranking do progresso social apresentado há duas semanas pelo instituto Imazon, de Santarém
rosiene carvalho ---

A pesquisa do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), divulgada há duas semanas, colocou o município de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus) em evidência no quesito progresso social de seus moradores. A cidade do boi bumbá ficou com a 75ª classificação em bem-estar entre os municípios da Amazônia, apesar de ocupar a 396ª colocação quando se trata de riqueza econômica.

O estudo do Imazon considerou 43 indicadores sociais e ambientais para definir um ranking entre os municípios da Amazônia no quesito progresso social. Na avaliação, as capitais dos Estados onde, em geral, se concentra a maior parte do Produto Interno Bruto (PIB) tiveram boas colocações. Mas os destaques foram cidades que alcançaram bons indicadores mesmo não sendo as mais ricas. Entre as quais, o município de Parintins.

Para o diretor do Núcleo de Política do Amazonas (NEPCAM) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ademir Ramos, a avaliação do Imazon é importante porque salienta a perspectiva de se analisar a sociedade por outros fatores que não sejam exclusivamente econômicos. “É uma crítica ao determinismo econômico. Manaus tem o maior PIB no Amazonas. Mas não necessariamente a população tem qualidade de vida. Pensar que o PIB dá melhor qualidade de vida é falso. Tanto é que nos grandes centros, há um processo migratório para as cidades periféricas em busca de qualidade de vida”, declarou.

O professor acrescentou que Manaus, embora tenha melhor PIB que Parintins, não oferece à população itens que refletem diretamente na felicidade das pessoas como segurança, maior tempo com a família. “As pessoas saem dos grandes centros em busca de maior segurança. A vida na cidade é caótica, perturbada. As pessoas passam muito tempo no trânsito. Esse índice é importante para ser aproveitado para que trabalhem políticas públicas que possam melhorar as condições de vida oferecidas à população”, afirmou,

Para ele, o bom desempenho de Parintins também deve ser relacionado à auto-estima do povo e o acesso à cultura. “Lá , há um sentimento de satisfação social que passa diretamente pela cultura, de aproveitamento do saber popular, da criatividade das pessoas”, declarou.

Professor percebeu boa auto-estima

O sociólogo e professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Amazonas Odeney Ribeiro afirmou que antes mesmo de ter acesso a essa pesquisa já havia constatado que a auto-estima dos alunos do campi de Parintins é maior que o dos estudantes dos outros municípios onde existem unidades da Ufam.

Ele afirmou que é preciso acrescentar, para além da valorização dos profissionais, outras medidas que influenciam na qualidade de vida da população como auxílios concedidos pelo governo. “Críticas à parte ao Bolsa Família, por exemplo, é importante reconhecer que essa foi uma medida que ajudou nos indicadores sociais nos últimos anos entre a população mais pobre”, declarou.

Odeney afirma que é necessário analisar com cuidado e atenção os novos índices por causa dos mais diversos fatores que influenciam na vida das pessoas. “Um índice que mediria bem o grau de felicidade social das pessoas seria o que analisasse o grau de confiança delas nas instituições políticas, legislativas e judiciárias”, comentou o professor, que já ministrou cursos em todos os campi do interior.

Metodologia

O estudo considera 43 indicadores sociais e ambientais, como o acesso da população à rede de saneamento básico, ao ensino superior, mortes no trânsito, doenças respiratórias (provocada por poluição). Índices envolvendo desmatamento e quantidade de área naturais protegidas também influenciaram no resultado da avaliação.

Ranking

A pesquisa do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) revelou que Manaus ocupa a 23ª colocação entre 772 municípios da Região Norte, além do Tocantins e Maranhão, no ranking que mediu o Índice de Progresso Social (IPS) da Amazônia. O índice foi criado pelo próprio instituto, cuja sede fica em Santarém (PA).

No Amazonas Manaus apresentou IPS de 66.55, sendo a cidade do Amazonas com a melhor classificação na pesquisa. O Amazonas, com seus 62 municípios, obteve desempenho de 54,92, enquanto o Pará, com 144 municípios, teve IPS de 55.40.

Publicidade
Publicidade