Segunda-feira, 17 de Fevereiro de 2020
Notícias

Paris: dois suspeitos do atentado ao Charlie Hebdo são mortos

Várias explosões e tiros foram ouvidos nas proximidades da empresa gráfica na localidade de Dammartin-en-Goële, a noroeste da capital, Paris, onde os irmãos se refugiaram



1.jpg Dois suspeitos do atentado ao Charlie Hebdo são mortos
09/01/2015 às 17:05

Os irmãos Said e Cherif Kouachi, suspeitos do atentado de quarta-feira (7) ao jornal satírico Charlie Hebdo, foram mortos pela polícia francesa após intensa perseguição e cerco policial.

Várias explosões e tiros foram ouvidos nas proximidades da empresa gráfica na localidade de Dammartin-en-Goële, a noroeste da capital, Paris, onde os irmãos se refugiaram pela manhã desta sexta-feira (9), depois de uma troca de tiros com a polícia francesa, fazendo pelo menos um refém.



Segundo a agência de notícias France Presse, os suspeitos saíram atirando nos policiais que cercavam o prédio. A polícia conseguiu libertar um refém que os suspeitos mantiveram em cativeiro durante várias horas.

Polícia invade supermercado e liberta reféns em Paris

A polícia francesa invadiu hoje (9), pouco depois das 17h, horário local (14h em Brasília), um supermercado kosher, no leste de Paris, onde um homem armado fez vários reféns, conforme noticiou a agência de notícias France Presse. Vários reféns foram libertados.

A invasão ocorreu logo após serem ouvidas várias explosões. De acordo com a imprensa francesa, o sequestrador foi morto.

A operação policial no supermercado parisiense ocorreu simultaneamente à realizada na localidade de Dammartin-en-Goële, a noroeste da capital, onde morreram os irmãos Said e Cherif Kouachi, suspeitos do atentado contra o semanário satírico francês Charlie Hebdo.

Segundo fontes das forças de segurança citadas pela France Presse, pelo menos quatro dos reféns também foram mortos.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.