Publicidade
Cotidiano
Notícias

Parlamento Jovem Brasileiro leva amazonense ao Congresso Nacional, em Brasília

O único representante do Estado do Amazonas foi Lucas Mateus, de 17 anos, aluno do 3º ano da escola integrada do Sesc-Manaus. O jovem parlamentar foi escolhido entre 7.300 alunos da capital e de 12 municípios do interior do Estado 25/09/2015 às 15:50
Show 1
Ontem, o jovem “deputado” do Amazonas defendeu sua proposta na Comissão de Agricultura e Meio Ambiente
ANTÔNIO PAULO Brasília (DF)

A Câmara dos Deputados encerrou na manhã de hoje a 12ª edição do Parlamento Jovem Brasileiro (PJB), uma experiência que simula uma jornada parlamentar em que os jovens estudantes participam de debates e votações como se fossem deputados.

É uma tentativa de criar um conceito positivo do Poder Legislativo e estimular a participação e cidadania dos alunos. Foram selecionados 78 estudantes do ensino médio.

O único representante do Estado do Amazonas foi Lucas Mateus, de 17 anos, aluno do 3º ano da escola integrada do Sesc-Manaus.

O jovem parlamentar amazonense foi escolhido entre 7.300 alunos da capital e de 12 municípios do interior do Estado. Eles apresentaram suas ideias, receberam orientações da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e da Assembleia Legislativa do Estado e que foram transformadas em projetos de lei. Para participar, os alunos tiveram que enviar um projeto de lei de sua autoria, com tema livre e de impacto nacional, propondo mudanças para melhorar a realidade do país.

Os participantes representam os Estados e o Distrito Federal e a representação ocorre de forma proporcional ao eleitorado, do mesmo modo que nas eleições oficiais.

Na seleção, entre 78 propostas, a sugestão de Lucas Mateus, sobre o ensino transversal (envolvendo disciplinas como Geografia, Ciências e Biologia) para levar a uma educação ambiental entre os jovens, foi o projeto escolhido para representar o Estado no Parlamento Jovem Brasileiro.

“Quis mostrar que é possível implantar nas escolas uma educação que dê aos estudantes a consciência e responsabilidade com água e seu uso adequado; os riscos com a poluição do ar e correta utilização dos resíduos sólidos”, explicou. Ontem, o jovem “deputado” do Amazonas defendeu sua proposta na Comissão de Agricultura e Meio Ambiente. Chegou a ser aprovado, mas não ficou entre os dois projetos da CMA que foram votados e aprovados hoje no plenário Ulysses Guimarães.

“Foi uma experiência incrível porque antes de participar do Parlamento Jovem Brasileiro tinha aversão à política porque achava que os políticos são todos iguais, que só querem roubar e legislar em causa própria, de acordo com seus interesses. Ao conviver durante uma semana na Câmara dos Deputados, verificando como tudo funciona, dei-me conta de que a política em si é muito importante para a cidadania, o que é ruim é a politicagem, a corrupção. E essa diferença deve ser feita pelos jovens, que são alheios à política, e por todas as pessoas que não acreditam mais nos políticos”, declarou Lucas Mateus. Ele disse que a partir de agora vai se interessar mais pela “boa política” e até pretende ser candidato a algum cargo eletivo algum dia para representar o Estado do Amazonas.

Entre os 1.785 projetos inscritos no Parlamento Jovem Brasileiro 2015, o Estado do Amazonas ficou na terceira posição, com 154 propostas. Destaques também para o Rio de Janeiro, com 409 projetos encaminhados para a seleção; em seguida, São Paulo, com 342; e Tocantins, com 145.

Os temas mais abordados foram educação, saúde, meio ambiente, emprego e segurança pública. Entre as proposições apresentadas estão a que proíbe a contratação, por agências de modelo, de crianças e adolescentes que apresentem quadro clínico de desnutrição; e a que determina a construção de berçários em instituições de ensino público para mães solteiras adolescentes de baixa renda.

 (À esquerda, o coordenador do programa “Parlamento Jovem do Amazonas”, professor Walber Ferreira. Ao lado, Eduardo Jorge Ribeiro Filho, professor de Sociologia do Sesc. FOTO: Roque de Sá) 

Sesc é bicampeão

Com apenas três anos que instituiu o ensino médio, a escola do Sesc/Campus Elíseos de Manaus conseguiu emplacar por dois anos consecutivos (2014 e 2015) o “Jovem Parlamentar” amazonense e encaminhar à disputa nacional.

Na sessão de ontem, na Comissão de Agricultura e Meio Ambiente, o professor Eduardo Jorge Ribeiro Filho, de Sociologia, acompanhou apresentação do projeto do “deputado” Lucas Mateus. “Temos imenso orgulho em representar o Sesc e o Amazonas, aqui na Câmara dos Deputados, mas também a responsabilidade em continuar com esse trabalho voltado para a cidadania dos nossos alunos”, declarou o mestre.

O coordenador do programa “Parlamento Jovem do Amazonas”, professor Walber Ferreira, da Secretaria de Educação (Seduc), que também acompanhou o representante amazonense, falou da importância do projeto, da mobilização de 7.300 jovens do Estado, e dos resultados na vida de todos esses jovens participantes.

“É sem dúvida uma experiência única. Desde a preparação, as duas semanas recebendo orientações dos assessores da Assembleia Legislativa do Estado, o apadrinhamento dos 24 deputados estaduais por cada um dos selecionados, além do conteúdo final que aprendem aqui no Congresso Nacional. Eles saem com outra visão da política, da necessidade de trabalhar pelo seu município, pelo seu Estado, pelo seu País. Não tenho dúvidas de que desse projeto poderá sair o governador, o prefeito, o deputado estadual, federal, senador e quem sabe até o presidente do Brasil”, declarou o professor Walber Ferreira.

Publicidade
Publicidade