Sábado, 07 de Dezembro de 2019
QUEDA DE ELEVADOR

Administração de condomínios não exibe documentos de manutenção de elevadores

Condomínios de luxo oferecem confortos, requintes e segurança a seus moradores, mas pouco falam sobre a segurança dos equipamentos de elevador



elevadores1.JPG O tradicional Aruba, na estrada da Ponta Negra - exibiu documentos de revisão técnica, estes datados do último dia 28 (Fotos: Gilson Mello)
10/08/2017 às 20:58

Apesar de todo investimento em conforto, modernidade e segurança, nem todas as administrações de edifícios da cidade estão interessadas em mostrar que estão preocupadas com os sistemas de manutenção de seus elevadores. Ontem, provocadas por A CRÍTICA para comprovar se possuem ou não revisão técnica em seus imóveis, apenas um entre dez condomínios - o tradicional Aruba, na estrada da Ponta Negra - exibiu documentos de revisão técnica, estes datados do último dia 28.

No entanto, no próprio Aruba, em 23 de abril deste ano, um idoso de 65 anos foi socorrido após o elevador em que estava despencar do 5º andar.



Nos outros nove residenciais A CRÍTICA teve dificuldade de contactar com o síndico ou administrador do imóvel para solicitar a comprovação de manutenção: são eles o Condomínio Mediterranee, Cristal, Maestro Cláudio Santoro, Ilha Bella, Ilhas Gregas, Riviera Ponta Negra, Varandas do Rio Negro, Geneve e o Castelli, este último no qual, por volta das 10h da última quarta-feira, um elevador despencou do 15º andar com três funcionários que realizavam serviços, felizmente sem ferir nenhum deles.

Segundo testemunha ouvida por A CRÍTICA, o equipamento  havia apresentado problemas há mais de 60 dias e desde então estava parado. As informações não foram confirmadas devido a síndica Ana Landim, nem qualquer administrador, terem se pronunciado oficialmente.
multa

A manutenção no sistema de elevadores do edifício Castelli é realizada pela empresa Orona AMG Elevadores Manaus, que está registrada no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Amazonas(Crea-AM)desde 2012 para esse fim.

O ocorrido no imóvel levou ontem o Crea-AM a multar a empresa em aproximadamente R$ 600 devido a mesma, apesar de estar regularizada e adimplente junto ao órgão, e de ter um responsável técnico na Engenharia Mecânica, não registrou o contrato de manutenção por meio de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do condomínio no próprio conselho.

“No caso do Castelli, tomamos conhecimento do contrato porque a síndica informou aos fiscais. De antemão, a empresa mesmo estando adimplemte, o Crea tomou posição de notificar uma multa em torno de R$ 600”, informou a engenheira civil Socorro Lamêgo, superintendente de fiscalização do Crea-AM.

Ela destaca que manutenção, instalação e execução em equipamentos de elevadores são atividades técnicas do profissional vinculado ao Confea/Crea-AM, e por serem técnicas tem que ser acompanhadas por profissional habilitados. “No caso específico dos elevadores temos um planejamento de acompanhamento desde anos anteriores, definindo um plano de fiscalização em condomínios. Mas há um crescimento expansivo sobre verticalização de obras em Manaus, e há muitas atividades fiscalizadas. No caso do Castelli, tomamos conhecimento por parte da mídia, e uma equipe de fiscalização esteve no local averiguando se no ato do serviço foi contratado um profissional habilitado ou pessoa jurídica”, disse a superintendente.

Sobre a ausência de manutenção de equipamentos de elevadores nos edifícios, ela comentou que não existe um órgão específico que atue sobre isso. “Outra parte problemática é que há condôminos que burlam o Crea ao não registrar o contrato de manutenção”, relata. 

Ela comentou que qualquer morador pode cobrar nas reuniões condominais de prestação de contas se a atividade de manutenção está regularizada junto ao Crea-AM. Ou ainda pode denunciar no site www.crea-am.org.br link ou enviar mensagem de whatsapp para esclarecer dúvidas via fones 99142-0956 ou 99142-0918. O fone do setor de fiscalização do órgão é 2125-7124.

Empresa não comentou assunto

A CRÍTICA buscou  contato com a empresa Orona AMG Elevadores Manaus por meio do fone 3584-4155, mas foi informada que o gerente Kléber Moura não estava presente. 
Na internet, a Orona é destacada como fabricante de elevadores residenciais e comerciais, sendo a “4ª marca de expressão nacional e a 5ª mundial”, e estando presente com suas filiais em “várias capitais e grandes centros do Brasil com mais de 1000 funcionários e em mais de 100 países”.

A CRÍTICA tentou falar com a gestão local da empresa Thyssen Krupp, responsável por elevadores de vários edifícios da cidade, por meio do fone 99xxx-10xx, mas foi orientada a aguardar posicionamento da assessoria nacional.

Em Números

6

É o número de ocorrências atendidas de resgate em elevador, em casos de pane em edifícios, pelo Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) de janeiro até junho deste ano. As informações são da assessoria de comunicação da corporação.

Cuidados no uso do elevador

O elevador é uma máquina de transporte extremamente útil, mas seu uso requer cuidados para evitar acidentes, que muitas vezes são fatais.

O que você não deve fazer

Puxar a porta do pavimento sem a presença da cabine no andar;

Apressar o fechamento das portas;

Apertar várias vezes o botão de chamada;

Chamar vários elevadores ao mesmo tempo;

Fumar dentro do elevador;

Movimentos bruscos dentro do elevador;

Lotar o elevador com o peso acima do permitido;

Bloquear o fechamento das portas com objetos;

O excesso de lotação e de carga é perigoso e acarreta desgaste prematuro do equipamento.

Crianças

O elevador não é lugar de brincadeiras, portanto oriente as crianças para:

Não acionar os botões desnecessariamente;

Não dar pulos ou fazer movimentos bruscos dentro da cabine;

Nunca colocar as mãos na porta;

Não entrar primeiro no elevador, assim que a porta se abre.

Evite que elas usem o elevador  sozinhas.

Exija da empresa de conservação que o acesso à porta do elevador seja bloqueado quando ele estiver em reparos ou revisão técnica.

Se o elevador parar entre dois andares...

Os ocupantes devem:

Manter a calma, pois o perigo não é iminente;

Acionar o botão de alarme e/ou utilizar o interfone para pedir ajuda;

Solicitar que chamem o zelador e, se necessário, a empresa conservadora ou o Corpo de Bombeiros;

Aguardar com calma.

Importante: Não force as portas nem tente sair por conta própria!

Se o elevador parar entre andares e a porta abrir, não tente sair pela abertura. O elevador pode voltar a funcionar no momento em que você estiver saindo. Aguarde a sua estabilização;

Nunca se afobe ao tomar o elevador;

Quando a porta do elevador abrir, preste atenção. Antes de entrar, verifique que a cabine do elevador está no andar. Falhas mecânicas permitem, às vezes, que a porta abra sem a presença do elevador, o que já provocou muitos acidentes fatais;

Entre no elevador e saia dele devagar, para evitar colisão com outros usuários. Não tente entrar no elevador enquanto os ocupantes estiverem saindo;

Ao entrar no elevador e ao sair dele, cuidado para não tropeçar nos degraus que se formam quando ele para desnivelado com o pavimento. 

Incêndio

Em caso de incêndio, não utilize os elevadores.

O abandono do edifício deve ser feito pelas escadas, obedecendo ao plano de abandono.
Acidentes com elevadores são mais frequentes do que se supõe. Os mais comuns são ocasionados pelo uso da chave de abertura emergencial de portas, por pessoas leigas, e posterior não travamento da porta, além do uso inadequado do equipamento, brincadeiras dentro da cabine e resgate inadequado de passageiros.
Todo prédio com elevador tem a obrigatoriedade de contratar uma empresa para fazer a manutenção.
 
O que exigir de empresa de manutenção

Ao contratar uma empresa de manutenção de elevadores, exigir o registro na Prefeitura e desconfiar de preços muito abaixo dos oferecidos no mercado.

Fazer constar do Contrato de Manutenção revisão preventiva mensal dos elevadores e uma vez por ano uma vistoria completa.

Pedir, a cada inspeção, a ordem de serviço devidamente assinada.

Verifique se os engenheiros responsáveis possuem registro no CREA.

É obrigatório que a empresa tenha um engenheiro responsável.

A empresa também deve possuir registro no CREA

Os elevadores devem passar por manutenção mensalmente.

Quando o elevador estiver em manutenção, as chaves de energia elétrica devem ser desligadas e o local em manutenção deve ser sinalizado para informar moradores e funcionários.

Pesquisas mostram que é no dia da manutenção que ocorre a maior incidência de acidentes e todo o cuidado é pouco, principalmente com a troca de horário de funcionários, placas de sinalização devem ser colocadas na garagem e no térreo, avisos devem ser afixado nas portas dos elevadores.

Observando o equipamento

Verifique sempre se as normas de segurança estão devidamente cumpridas:
O elevador não deve parar além de 5cm do nível do andar.

Parar entre os andares ou dar trancos.

Fio desencapado também é motivo de alerta.

Atenção em poças de óleo no chão ou infiltrações na casa das máquinas.

 Se o elevador do seu prédio apresenta desnível de cabine, está parando entre dois andares, andando com a porta aberta ou com a porta sem abrir, deve ser interditado e a empresa de manutenção imediatamente acionada, porque são estes os principais sintomas de que o equipamento está com problema sério.

As brincadeiras dentro do elevador provocam 10% dos acidentes. Pular, balançar ou forçar a abertura da porta provoca parada da cabine desnivelada, ocasionando o acidente. 

Não permita o acesso de estranhos ou moradores na casa de máquinas ou poço de elevador; 

Não permita o uso da casa de máquinas como almoxarifado para guardar materiais do prédio, estranhos ao elevador;

Tenha a chave da casa de máquinas guardada em segurança e verifique periodicamente se a porta, que deve permanecer trancada, não foi forçada.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.