Publicidade
Cotidiano
Notícias

PDT do Amazonas se reúne com seu presidente nacional em meio a disputas e conflitos internos

O encontro ocorreu no Hotel Taj Mahal, localizado na avenida Getúlio Vargas, no Centro de Manaus, na tarde desta segunda-feira (30) 30/03/2015 às 21:14
Show 1
Presidente quis debater com partidários locais sobre as estratégias da sigla
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Em meio a discussões acaloradas e trocas de acusações, os políticos amazonenses do Partido Democrático Trabalhista (PDT) se reuniram na tarde desta segunda-feira (30) para discutir estratégias partidárias e, principalmente, qual o papel que a sigla quer desempenhar nas eleições de 2016.

A reunião, que ocorreu no Hotel Taj Mahal, localizado na avenida Getúlio Vargas, no Centro de Manaus, teve um peso diferente pela presença do presidente nacional do partido, Carlos Lupi.

"O presidente veio debater com as lideranças locais objetivando fechar alianças. A ideia dele é conversar com Marcelo Ramos, com Amazonino Mendes, que ainda é uma figura importante para a sigla, com o governador José Melo e com o prefeito Artur Neto", disse Mauro Filho, membro do partido.

No entanto, Lupi também deve mediar um conflito interno sobre quem deverá comandar o PDT no Amazonas, uma vez que as eleições internas do partido estão iminentes.

A disputa gira em torno de Dermilson Chagas, único deputado estadual do PDT atualmente com mandato no Estado, e Stones Machado, atual presidente do partido no Amazonas.

Segundo fontes, Dermilson e Stones, bem como seus respectivos aliados, protagonizaram momentos tensos na reunião, em que suas diferenças falaram mais alto. Apesar disso, a intenção do presidente nacional é mediar o diálogo entre os dois para que haja um consenso sobre quem deva comandar o PDT no Estado.

Caso não haja consenso, Lupi informou na reunião com seus partidários que pretende deliberar e informar os políticos locais o nome escolhido para a presidência do partido no Amazonas até o dia 21 de abril.

Marcelo Ramos

A reunião de Lupi com Marcelo Ramos deverá contemplar a possibilidade de sua adesão à sigla. Marcelo, que nas últimas eleições acarretou 180 mil votos, pode ser o grande trunfo para o partido caso eles sigam adiante com sua intenção de lançar uma candidatura à Prefeitura de Manaus em 2016. O nome de Dermilson também é cogitado internamente.

Em sua estada na capital amazonense, o presidente nacional da sigla ainda deve se reunir com o governador José Melo e o prefeito Artur Neto, ao longo dos próximos dias.

Publicidade
Publicidade