Publicidade
Cotidiano
Notícias

Pedido de Dilma Rousseff para censurar revista VEJA é negado pelo Tribunal Superior Eleitoral

Sob o argumento de que a publicação desrespeita a legislação eleitoral, a campanha petista pediu para que a revista retirasse a matéria de seu site e rede social, mas a solicitação foi negada por ministro 24/10/2014 às 16:03
Show 1
Matéria da revista Veja liga Dilma e Lula diretamente ao centro do esquema de corrupção que se instalou na Petrobras
acritica.com Manaus (AM)

A campanha da presidente Dilma Rousseff tentou, mas não conseguiu obter êxito junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para censurar reportagem da revista VEJA na qual o doleiro Alberto Youssef sustenta que tanto a candidata à reeleição quanto o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva tinham conhecimento do esquema de desvio de recursos públicos da Petrobras. 

Alberto Youssef está no centro da investigação feita pela Polícia Federal e em depoimento cujo teor foi revelado pela revista VEJA, publicada neste fim de semana, afirma que tanto a atual quanto o presidente da República antecessor sabiam do megaesquema de lavagem de dinheiro cujo fim era desviar dinheiro para o PT, PMDB e PP, além de bancar propina para aliados.

Sob o argumento de que a publicação desrespeita a legislação eleitoral, a campanha petista pediu para que a revista retirasse a publicação do site de VEJA e do perfil da revista no Facebook. O pedido foi protocolado pelo PT nesta sexta-feira (24). O ministro Admar Gonzaga negou o pedido.

"O dispositivo invocado para a suspensão da veiculação (§ 3º do art. 57-D da Lei nº 9.504/1997), consoante entendimento deste Tribunal Superior (Consulta nº 1000-75), não tem eficácia para o pleito de 2014", disse o ministro do TSE.

O esquema de lavagem de dinheiro teria movimentado R$ 10 bilhões. Em entrevista ao site da revista VEJA, o advogado do doleiro Alberto Youssef, Antonio Augusto Figueiredo Basto, não desmentiu as informações publicadas e afirmou que está impedido de se manifestar sobre as declarações. Abaixo, trechos da entrevista:  
 
O senhor nega que Alberto Youssef tenha dito que o Lula e Dilma sabiam dos desvios na Petrobras? 

Eu acho que as minhas declarações estão sendo usadas politicamente. Não posso me manifestar sobre um fato que é sigiloso. Nunca desmenti a reportagem da revista. Eu não posso desmentir um fato sobre o qual não posso me manifestar.
 
Mas o senhor tem conhecimento do teor do depoimento prestado na terça-feira?

O que estou dizendo é que não posso confirmar o teor dos depoimentos porque eles são sigilosos.
 
A reportagem de VEJA afirma que as declarações foram prestadas na presença de um procurador e de um delegado. 

Sobre a reportagem, o que eu disse é que não concordo com o vazamento dos depoimentos. Mas isso, num país que tem imprensa livre, cabe às autoridades investigar. A imprensa é livre para divulgar o que apura, mas não posso me manifestar sobre um conteúdo que é sigiloso, sobre o qual não tenho autorização para falar.  A defesa sabe de tudo que é dito nos depoimentos, mas não se pronuncia nem para desmentir nem para confirmar.

Publicidade
Publicidade