Publicidade
Cotidiano
Notícias

Pedido de viagem de socialite suspeita de crime no Estado tem parecer contrário dado pelo MP

A defesa de Marcelaine Santos Schumann alega que a mãe da suspeita de encomendar homicídio está doente, por isso o pedido para viajar até Ji-Paraná, município do estado de Rondônia. A cidade faz fronteira com a Bolívia, o que apontaria o indício de uma possível fuga, segundo o promotor do caso 23/06/2015 às 17:55
Show 1
O integrante do MP informou ainda que a própria defesa está solicitando a retirada da tornozeleira eletrônica de Marcelaine
Rafael Seixas Manaus (AM)

A defesa da socialite Marcelaine Santos Schumann pediu autorização da Justiça para que ela visite a mãe na cidade de Ji-Paraná, localizada no estado de Rondônia, sob alegação que a mãe estaria doente e precisaria de cuidados médicos. No entanto, o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) deu parecer contrário ao pedido de viagem. Marcelaine é suspeita de ter encomendado a morte da universitária Denise Silva, 34, em novembro de 2014, após suspeitar que o amante também teria um caso amoroso com a vítima. A socialite está em liberdade desde março deste ano.

O autor do parecer, o promotor de Justiça Rogério Marques Santos, explicou que a suspeita não colabora com o órgão de acompanhamento da medida cautelar de monitoramente eletrônico – quando o mesmo tenta localizá-la. “Estão ocorrendo violações no monitoramento. Se em Manaus já é difícil acompanhá-la, em outro estado seria ainda mais difícil”, declarou.

O integrante do MP informou ainda que a própria defesa está solicitando a retirada da tornozeleira eletrônica de Marcelaine. Contudo, o Ministério Público destacou que a cidade de Ji-Paraná está localizada próxima da fronteira do Brasil com a Bolívia. “O indício de uma possível fuga é grande”, disse o promotor.

O MP afirmou ainda não ver motivo pelo qual Marcelaine seria a única pessoa a prestar os cuidados à mãe, já que existem outros parentes próximos. “A Marcelaine não é enfermeira e sua mãe precisa de pessoas (profissionais) com habilitação, então não vejo motivo para esta viagem. Também estamos pedindo a prisão da Marcelaine e da Karen Arevalo Marques (que teria intermediado o aluguel da arma usada na tentativa de homicídio)”.

A decisão final sobre o pedido cabe ao juiz Mauro Antony, da 3ª Vara do Tribunal do Júri do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM). A equipe de reportagem do portal acritica.com entrou em contato com o magistrado, o qual informou que está de férias e que retornará no dia 1° de julho para o cargo. “Se o colega que me substitui quiser despachar o pedido, ele pode”, explicou. Antony está sendo substituído pelo juiz Anésio Rocha Pinheiro, da 2ª Vara do Tribunal do Júri.

Publicidade
Publicidade