Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Notícias

Pescadores devem ganhar nova fábrica de gelo no Amazonas

A fábrica de gelo avalizada em R$ 1,5 milhões prevista para ser entregue em 2014 deverá suprir a demanda dos pescadores



1.jpg Segundo a Fepesca a fábrica terá capacidade de produzir 120 toneladas de gelo
06/08/2013 às 07:42

Os pescadores do Estado devem ganhar uma nova fábrica de gelo no próximo ano. Segundo acordo firmado com a prefeitura de Manaus, deputado federal Silas Câmara, colônia de pescadores e a Federação dos Pescadores do Estado do Amazonas (Fepesca), a construção do empreendimento deve iniciar ainda nesse segundo semestre e custar R$ 1,5 milhão.

Nos próximos 90 dias a Federação irá viabilizar junto ao projeto Calha Norte o montante de R$ 750 mil. Outra parte dos recursos (R$ 750) a entidade pretende adquirir junto ao Prefeitura de Manaus. De acordo do Walzenir Falcão, presidente da Fepesca, a fábrica terá capacidade de produzir 120 toneladas e ficará localizada no terminal pesqueiro da Panair, bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Sul. “O novo terminal irá atender em torno de 80 embarcações de pequeno a grande porte que diariamente ancoram ali”, disse.

Ele afirma que atualmente a cidade não possui fábrica de gelo para atender os mais de 4 mil pescadores que atuam na atividade e isso leva ao desperdício de toneladas de peixes diariamente, que poderiam ser utilizados para alimentar milhares de pessoas.

Atualmente os pescadores contam com apenas duas fábricas, sendo uma particular e outra, da Fepesca, com capacidade de apenas 25 toneladas por dia, que atende, na maioria, feirantes. “Há embarcações que necessitam de até 80 toneladas, por conta disso fica inviável atender todos, seria necessário duas fábricas de gelo no Terminal Pesqueiro para a demanda total”, o dirigente da Fepesca.

Entrave
De acordo com a Fepesca, hoje, o pescador precisa desembolsar entorno de R$ 130 a R$ 160 pelo gelo através de solicitação a colônia de pescadores. Um dos maiores entraves do setor atualmente é o Terminal Pesqueiro, que está pronto há três anos, recebeu investimento desde 2005 e ainda não foi inaugurado oficialmente.

“O Terminal está funcionando apenas para comercialização, alguns pagam taxas de manutenção que varia de R$ 13 a R$ 26, mas nem todos têm conseguido porque o trabalhador tem muitas despesas, para empurrar uma balsa, o rebocador não cobra menos de R$ 600”, comentou Walzenir.

Durante o pacto ficou firmado também a mudança na legislação que prevê a aposentadoria aos pescadores.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.