Publicidade
Cotidiano
Notícias

Pesquisa é a melhor forma de economizar na compra de material escolar

Pesquisa realizada pelo Procon-Am feita em  seis papelarias da capital pesquisou 20 ítens comuns nas listas de material. Algumas variações foram de mais de 100% 13/01/2015 às 12:05
Show 1
A diretora do Procon-Am disse que a lista serve como orientação para os pais economizarem na hora das compras
Camila Leonel Manaus (AM)

Pesquisar. Essa é a principal recomendação da diretora do Procon-AM, Janaína Sales, para os pais que irão comprar o material escolar nesse começo de ano. Essa orientação é baseada na pesquisa  com os vinte itens mais solicitados nas listas de materiais realizada pelo órgão nos dias seis e sete de janeiro deste ano, nas seis principais papelarias de Manaus. Enquanto alguns itens não tiveram variação, outros apresentaram diferença de 1231.11%.

Apesar de alguns materiais apresentarem grande diferença de preço de um estabelecimento para outro, Janaína diz que não há um “vilão” responsável por encarecer a lista. “Não tem um vilão, são vários os vilões. Acho que o grande vilão dessa questão é a pesquisa. Se você não fizer uma pesquisa certamente o custo da sua lista vai ser muito mais alto”, disse.

Mesmo com as variações no preço, a diretora do Procon-AM disse que não dá para falar de abuso dos preços.“Cada empresa tem um porte diferente, tem um custo diferente e fica muito dificil a gente falar em abuso nessa pesquisa. Uma empresa dento de um shopping tem um custo infinitamente maior do que uma empresa que está numa rua comercial, custo de aluguel taxa de franquia. E aí os preços serão mais elevados, mas aí você vai pagar pelo conforto de estar num shopping, de ter o estacionamento e a facilidade”.

Outra coisa que é importante levar em conta são os produtos com “apelo comercial”, estampados com personagens da moda ou com o time do coração das crianças. Por conta disso, Janaína recomenda que os pais não levem as crianças na hora de escolher o material porque elas vão se sujeitar a esse apelo comercial. É importante também verificar a apresentação do produto. “Uma caneta pode ter um valor unitário se comprada sozinha e outro valor unitária se comprada em encartelada”.

Materiais que não podem ser solicitados

Em 26 de novembro de 2013, foi sancionada a Lei 12.886 que proíbe que materiais de uso coletivo sejam pedidos na lista de materiais. Materiais como copos descartáveis e produtos de limpeza não devem ser solicitados. Os pais também devem prestar atenção à quantidade de material pedida. “ O ano tem 365 dias e um ano letivo tem cerca de 200,  será que é necessário pedir 500 folhas de papel sulfite na lista?”.

Outra coisa que deve ser observada é a questão dos uniformes escolares, que só podem ter seu padrão modificado a cada cinco anos.

A escola também não pode obrigar os pais a comprarem os materiais em um determinado estabelecimento comercial. A instituição de ensino pode, no máximo, recomendar o local, mas nunca obrigar. “Os pais devem ter a liberdade de escolher onde vão comprar.”

Os pais que perceberem irregulararidades na lista, podem enviar sua reclamação para o email procon@sejus.am.gov.br, mas Janaína salienta que antes, é recomendável que os pais tentem uma negociação com a escola.




Publicidade
Publicidade