Publicidade
Cotidiano
Notícias

Pesquisa IBGE aponta que o Amazonas tem 172 mil desempregados

Taxa de desemprego chega a 10% da população economicamente ativa do Estado, um aumento de 3,3% em relação a 2014 25/11/2015 às 09:08
Show 1
Do no último ano, 92 mil pessoas entraram em idade de trabalhar (14 anos ou mais). Desse contingente, 40 mil entraram efetivamente na força de trabalho
acritica.com ---

O Amazonas tem 10% de sua população desempregada atualmente. Isto significa um aumento de 3,3% em relação ao ano passado, elevando o número de desocupados para 172 mil pessoas. Somente nos últimos 12 meses o acumulado alcançou 60 mil desempregados.

Os dados referentes ao terceiro trimestre deste ano são da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAC) Contínua, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Do no último ano, 92 mil pessoas entraram em idade de trabalhar (14 anos ou mais). Desse contingente, 40 mil entraram efetivamente na força de trabalho.

O emprego no setor privado com carteira de trabalho assinada registrou queda de 8,6% em relação ao mesmo trimestre de 2014. O que significa que 35 mil trabalhadores saíram da formalidade privada. Mesmo os trabalhadores do setor privado sem carteira de trabalho assinada reduziram 12,1%, ou seja, 23 mil postos de trabalho a menos. Estes dois grupos são exemplos do que aconteceu na maioria dos grupos de trabalhadores, onde os únicos grupos que evoluíram foi trabalhadores por conta própria (8,2%) e trabalhador familiar auxiliar - que são aqueles que ajudam sem receber pagamento (15,1%).

O número dos trabalhadores que estão investindo em negócios próprios vem crescendo a cada trimestre. No mesmo período de 2014 eles eram 458 mil; já em 2015 passaram a ser 495 mil; um incremento de 37 mil pessoas. Indicando que aqueles trabalhadores que saíram do trabalho no setor privado com ou sem carteira, estão migrando para abrir seu próprio negócio.

Os dados refletem o cenário da economia brasileira, envolta em uma crise que reduziu o crescimento do País, baixou a arrecadação de tributos, aumentou os custos produtivos e reduziu a atividade das empresas.

Empresas demitem

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Transportes (CNT) com representantes do setor apontou que 79,1% dos entrevistados realizaram demissões de trabalhadores neste ano, por conta do fraco desempenho econômico.

Publicidade
Publicidade