Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
Notícias

Pesquisas em saúde financiadas pela Fapeam devem focar segmentos de maior interesse

As linhas de pesquisa foram definidas como prioridades pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e estão sendo debatidas durante a Oficina de Prioridades do Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde (PPSUS)



1.jpg Pesquisadores e representantes da Fapeam, Ministério da Saúde e Susam discutem os focos da pesquisa em saúde
12/11/2015 às 08:53

O Amazonas precisa de projetos de pesquisas nas áreas de saúde mental, violência, acidentes e trauma, saúde da mulher, promoção da saúde e sistemas e políticas de saúde. Essas linhas foram definidas como prioridades pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e estão sendo debatidas durante a Oficina de Prioridades do Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde (PPSUS).

O evento, que começou ontem, segue até essa quinta-feira, no auditório do Bosque da Ciência, no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), na Zona Sul. A reunião antecede a elaboração do edital do PPSUS pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em parceria com a Susam e o Ministério da Saúde (MS) e tem por objetivo o fortalecimento do cenário de pesquisas na área da saúde no Estado.



De acordo com a diretora técnico-científica da Fapeam, Andrea Waichman, é na Oficina de Prioridades do PPSUS que são escolhidas as temáticas que serão apoiadas no lançamento do edital do programa, que deve ocorrer em 2016. “Esse encontro é muito importante porque é onde vemos quais são as prioridades da saúde no nosso Estado para podermos realizar pesquisas que venham contribuir com a melhoria do SUS e do atendimento à população”, disse.

Andrea enfatizou que as linhas prioritárias definidas pela Susam precisam de apoio da pesquisa não só para conhecer melhor como os agravos das doenças relacionadas a elas acontece no Estado, mas como levar soluções e melhorias à parte do atendimento da população do SUS. “Os resultados dessas pesquisas não são vistos só na bancada e laboratório, mas, principalmente nas unidades de saúde e atendimento da população”, disse.

Para o vice-diretor de pesquisas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Felipe Naveco, se os pesquisadores e as instituições do governo não trabalhar antes a definição dos temas prioritários, o edital do PPSUS pode sair de maneira que não consiga contemplar as demanda da saúde no Estado. “Essa conversa tem que ser feita porque a Susam apresenta seus problemas e nós apresentamos de que forma podemos ajudar”, evidenciou.

Ele observou que em 2013 foram aprovados 19 projetos de várias instituições de ensino e pesquisa no Amazonas, sendo seis da Fiocruz. E que todos tentavam responder uma temática específica da região. Conforme ele, os resultados dessas pesquisas serão apresentados no ano que vem, uma vez que, o edital do PPSUS é lançado a cada dois anos.

Blog: José Eloy dos Santos Júnior, Consultor técnico do MS

 “O PPSUS tem a característica de ser uma gestão compartilhada com os Estados por meio das secretarias estaduais e as fundações de amparo a pesquisa e, em nível federal, com o MS por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico Tecnológico (CNPq). Dentro desse compartilhamento as pesquisas são eleitas pelos Estados e a comunidade cientifica é chamada para discutir as linhas que foram apontadas como prioridade pelas secretarias de saúde. Isso é interessante porque o próprio Estado indica quais são suas prioridades para a área da saúde”.

Investimento de dez anos

De acordo com dados da Fapeam, desde 2004, o Governo do Estado investiu mais de R$ 10,04 milhões para o desenvolvimento de projetos de pesquisa que visem ao fortalecimento das capacidades locais e a busca por soluções aos problemas e necessidades dos sistemas e serviços de saúde no Amazonas.

Em torno de R$ 7,62 milhões do total foram destinados ao PPSUS, que tem como objetivo financiar pesquisas em temas prioritários relacionados à gestão do setor e a atenção à saúde prestada à população, e R$ 2,42 milhões ao PPSUS-Rede, com a finalidade de, entre outros, desenvolver projetos de pesquisa que promovam a implantação das redes de atenção à saúde no Estado.

Conforme a Fapeam, entre os principais resultados obtidos pelo PPSUS no Amazonas, destacam-se a aplicação de novas metodologias na gestão do SUS, a elaboração de novos sistemas de triagem para o diagnóstico de patologias, capacitação e formação de recursos humanos.

Definições

De acordo com o representante da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) no evento, Rogério Gonçalves, os eixos para a realização das pesquisas - saúde mental, violência, acidentes e trauma, saúde da mulher, promoção da saúde e sistemas e políticas de saúde - foram definidos com base no Relatório Anual de Gestão (RAG).



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.