Publicidade
Cotidiano
Impeachment

Petista pergunta: ‘Qual é a moral desse Senado para julgar a presidente?’

Gleisi Hoffmann causou ira em parte dos colegas na manhã de hoje ao questionar a idoneidade dos membros do Senado Federal 25/08/2016 às 10:36 - Atualizado em 25/08/2016 às 10:39
Show 20165776930g
Gleisi Hoffmann (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
acritica.com

A senadora petista Gleisi Hoffmann causou ira em parte dos colegas na manhã de hoje ao questionar a idoneidade dos membros do Senado Federal para julgar a presidente Dilma Rousseff por crime de responsabilidade. “Qual é a moral desse Senado para julgar a presidente?”, perguntou a petista, gerando um bate-boca generalizado no plenário. A sessão, que deverá ouvir testemunhas do processo, teve que ser suspensa por cinco minutos pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que também preside o julgamento de Dilma. 

O julgamento do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff começou hoje (25) às 9h. Serão ouvidas inicialmente as duas testemunhas arroladas pela acusação: o procurador do Ministério Público no Tribunal de Contas da União (TCU),  Júlio Marcelo de Oliveira, e o auditor do TCU Antônio Carlos Costa D'Ávila.

Em seguida, a previsão é de que sejam ouvidas duas das seis testemunhas arroladas pela defesa. Os advogados de Dilma Rousseff convocaram o ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, a ex-secretária de Orçamento Federal Esther Dweck, o ex-secretário executivo do Ministério da Educação Luiz Cláudio Costa, o professor de direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) Ricardo Lodi Ribeiro e o professor de direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Geraldo Prado.

Amanhã (26) deverão ser ouvidas as quatro últimas testemunhas. Se não houver tempo de ouvir as quatro primeiras até a noite de hoje, os depoimentos de uma parte delas podem ser transferidos para esta sexta, fazendo com que a primeira fase do julgamento seja concluída somente no fim de semana.

*Com informações da Agência Brasil.

Publicidade
Publicidade