Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
Após ataques

Petrobras diz que não há previsão para reajuste de preços após alta mundial

Explosões em campos de petróleo na Arábia Saudita, um dos principais produtores no mundo, impulsionaram o salto de 20% no preço do produto na Europa e na Ásia



winnetou_8D01D1DE-0CE5-4F3C-9E01-0838012B2F24.jpg Foto: Winnetou Almeida
17/09/2019 às 08:51

A Petrobras informou, por meio de nota, que está monitorando o mercado internacional de petróleo, em função dos ataques a uma refinaria na Arábia Saudita, no domingo (15).Os ataques aéreos à refinaria de Abqaiq resultaram na elevação dos preços internacionais do petróleo. Por enquanto, não há previsão de reajuste de preços nos produtos negociados pela estatal, como os combustíveis e derivados de petróleo.
 
Segundo a Petrobras, a cotação internacional do petróleo apresenta volatilidade e a alta súbita de preços “pode ser atenuada na medida em que maiores esclarecimentos sobre o impacto na produção mundial sejam conhecidos. A Petrobras decidiu por  acompanhar  a  variação  do  mercado  nos  próxi-mos dias  e  não fazer um  ajuste de forma imediata”, diz a nota.

Ataque

As tensões entre Washington e Teerã já estavam em alta por causa de uma longa disputa entre as duas nações sobre o programa nuclear do Irã, que levou os Estados Unidos a imporem sanções abrangentes sobre a República Islâmica. No domingo (15), houve um ataque ainda sem autoria contra instalações petrolíferas na Arábia Saudita



Os preços do petróleo subiram 19% no início das negociações na Ásia nesta segunda-feira, devido a preocupações com a oferta global e as crescentes tensões no Oriente Médio.

O petróleo Brent registrou seu maior ganho percentual intradia desde o início da Guerra do Golfo em 1991. A gigante petrolífera estatal Saudi Aramco disse que o ataque de sábado reduziu a produção em 5,7 milhões de barris por dia.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.