Publicidade
Cotidiano
OPERAÇÃO

Pezão assumiu esquema de corrupção após prisão de Cabral e manteve crimes, diz PGR

Com a prisão de Pezão, o vice-governador Francisco Dornelles, já assumiu interinamente o governo do Estado do Rio de Janeiro 29/11/2018 às 12:24 - Atualizado em 29/11/2018 às 12:47
Show pez o agora c491b02e 19a9 4c9b bf9d 23cf39c1d732
Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Reuters e Agência Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, que foi preso nesta quinta-feira pela Polícia Federal, assumiu a liderança do amplo esquema de corrupção no Estado após a prisão do ex-governador Sérgio Cabral, que coordenava o esquema anteriormente, e continuou a cometer crimes apesar do andamentos das investigações, afirmou a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

A PGR, que apresentou a petição ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que resultou na prisão de Pezão e de mais oito pessoas, afirmou que o pedido de prisão tem como objetivo interromper a prática de atividade criminosa, em especial a lavagem do dinheiro obtido de forma ilegal.

Segundo Dodge, Pezão assumiu a liderança do esquema após a prisão de Cabral em novembro de 2016 e incluiu novos participantes na organização criminosa em substituição a outros que foram presos.

“Mesmo depois das prisões já feitas em relação aos que lideravam até recentemente esse esquema criminoso, houve uma nova liderança, e é nessa perspectiva que reponta a atuação do atual governador do Rio de Janeiro, que assume a liderança desse esquema e nele inclui novos atores, o que evidencia que houve uma sucessão com novos participantes sob uma nova liderança”, disse Dodge em entrevista coletiva na sede da PGR.

Pezão, foi secretário de Obras e vice-governador de Cabral entre 2007 e 2014, foi preso pela PF na manhã desta quinta-feira na residência oficial por suspeita de receber ao menos 39 milhões de reais em propina em valores atualizados.

Pezão, de 63 anos, tomou posse como governador em abril de 2014 depois que Cabral renunciou ao cargo, e foi reeleito naquele mesmo ano para um mandato até o fim deste ano.

Cabral está preso desde novembro de 2016 condenado em diversas ações de corrupção.

Governo do Rio

Com a prisão do governador Luiz Fernando Pezão, Francisco Dornelles, vice-governador, já assumiu interinamente o governo do Estado do Rio de Janeiro. Na linha sucessória, figura agora o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Milton Fernandes de Souza.

Isto acontece porque o presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), deputado Jorge Picciani, está em prisão domiciliar desde março deste ano. Picciani foi preso na Operação Cadeia Velha, que investiga pagamento de propinas a deputados estaduais do Rio.

 

Publicidade
Publicidade