Publicidade
Cotidiano
Notícias

PF deflagra operação contra lavagem de dinheiro no AM e em 12 Estados

Organização movimentava milhões de reais e, entre os crimes, atuava na prática de jogo do bicho e máquinas caça-níqueis. Segundo a Polícia Federal, mais de 30 mandados de prisão devem ser cumpridos em todos os estados 12/11/2014 às 11:40
Show 1
Quadrilha atuava em atividades envolvendo lavagem de dinheiro
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A Polícia Federal deflagrou na madrugada desta quarta-feira (12) a Operação “Trevo” para desarticular quadrilha que agia no Amazonas e em 12 estados do país em atividades envolvendo lavagem de dinheiro. Segundo a PF, o tronco principal da organização movimentava bilhões de reais e, entre os crimes, atuava na prática de jogo do bicho e máquinas caça-níqueis. Em Manaus, a PF cumpre mandado de busca e apreensão na sede do Amazonas Dá Sorte.

Cerca de 300 policiais participam das investigações, que estão sendo executadas simultaneamente no Amazonas e em outros 12 estados: Pernambuco, Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul.

De acordo com a PF, ao todo estão sendo cumpridos 12 mandados de prisão temporária, 24 mandados de prisão preventiva, 57 de busca e apreensão, 47 de sequestro de valores, bens móveis e automóveis de luxo.

Organização criminosa

A organização criminosa operava por meio de loterias estaduais, cujos valores arrecadados eram repassados a entidades filantrópicas de fachada, fazendo com que o dinheiro ilícito retornasse ao grupo, em procedimento suspeito, com fortes indícios de lavagem de dinheiro.

Outro segmento do grupo, com sede no estado de São Paulo, era responsável pelo fornecimento de máquinas eletrônicas programáveis (caça-níqueis), tanto para Pernambuco como para outros estados e até para o exterior.

Outro ramo, ainda, figurava como instituição financeira seguradora de incontáveis bancas de jogo do bicho no nordeste, garantindo o pagamento dos prêmios e promovendo lavagem de dinheiro.

O tronco principal da organização registrou uma movimentação financeira registrada em bilhões de reais e atuava tanto no jogo do bicho como a comercialização de bilhetes lotéricos ocultados em título de capitalização em sua modalidade popular, apropriando-se dos valores que deveriam ser destinados a instituições beneficentes ou revertidos em capitalização, obtendo vantagem ilícita em detrimento do povo.

Os investigados podem responder pela prática do crime de contrabando, crime contra o Sistema Financeiro Nacional, jogo de azar e lavagem de dinheiro. Somadas, as penas ultrapassam o limite de trinta anos.

Publicidade
Publicidade