Publicidade
Cotidiano
Notícias

PF fecha cerco contra esquema de extração ilegal de ouro no AM que movimentou R$ 27 milhões

Operação "Filão do Abacaxis", deflagrada em parceria com o Exército e o Ibama contra extração ilegal e lavagem de dinheiro, identificou 70 hectares do garimpo invadidos em 2012. Pistas de pouso clandestinas e maquinário utilizado na extração do metal precioso estão sendo destruídos 18/09/2015 às 12:05
Show 1
Área de garimpo e pistas de pouso ilegais no Amazonas foram mapeadas e desarticuladas pela Polícia Federal
acritica.com* Manaus (AM)

A Polícia Federal no Amazonas, em conjunto com o Exército Brasileiro e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), realizou nesta quinta e sexta-feira (dias 17 e 18) a deflagração da Operação intitulada "Filão do Abacaxis", com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que pratica ações de lavagem de dinheiro decorrente da exploração ilegal de ouro e degradação ambiental junto ao garimpo Filão do Abacaxis, localizado no município de Maués, em plena selva amazônica.

O inquérito policial instaurado para investigar a organização criminosa identificou que a área do garimpo foi invadida a partir do ano de 2012 e vem sendo usada por grupo econômico ligado a uma empresa mineradora desde então para lavar os lucros auferidos com a exploração de ouro retirado do local.

A investigação identificou que aproximadamente 70 hectares de floresta foram derrubados para permitir a exploração do garimpo e que mais de 200 quilos de ouro já foram extraídos do local desde sua invasão há três anos, o que corresponde a mais de R$ 27 milhões usurpados do patrimônio da União. Apenas na conta de uma das secretárias da empresa investigada, foram movimentados mais de R$ 12 milhões em menos de um ano.

Os proprietários do garimpo já foram identificados e tiveram prisão preventiva decretada pela 7ª Vara Federal do Amazonas, cujo cumprimento está sendo realizado na presente data. A Polícia Federal informou que não divulgará os nomes dos investigados em razão da decretação de sigilo judicial.

Por se tratar de área de floresta e para garantir que a prática dos crimes ambientais não tenha continuidade, duas pistas de pouso clandestinas que servem de apoio ao garimpo, bem como o maquinário utilizado na extração do ouro, estão sendo destruídos mediante parceria com o Exército Brasileiro e oIbama.

Além do cumprimento de três mandados de prisão, a Polícia Federal cumpre ainda quatro mandados de busca e apreensão e mais seis mandados de condução coercitiva nos estados do Amazonas, São Paulo e Santa Catarina. Considerando as provas já colhidas no inquérito policial, os principais crimes que estão sendo praticados na área do Garimpo Filão do Abacaxis são:

- Crime de usurpação de substância mineral de propriedade da União – art. 2º da lei 8176/91;
- Crime ambiental de extração de bem mineral sem autorização do órgão responsável – art. 55 da lei 9605/98;
- Crime ambiental de utilização de substância perigosa ou nociva à saúde ou meio ambiente (mercúrio/cianeto) – art. 56 da lei 9605/98;
- Crimes ambientais de destruição de floresta e assoreamento de rio sem autorização, poluição e outros previstos na lei 9605/98;
- Organização Criminosa (art. 1º e 2º da lei 12.850/13)Lavagem de dinheiro (art. 1º da lei 9613/98).

MAIS INFORMAÇÕES AO LONGO DO DIA

Publicidade
Publicidade