Sábado, 31 de Outubro de 2020
CRIME

PF prende ex-oficial da Marinha argentina acusado de crimes contra a humanidade

Segundo a nota da PF, o ex-militar era procurado pela Interpol e já havia sido preso para fins de extradição em 2013, em Angra dos Reis, também no Rio de Janeiro, mas uma decisão judicial o colocou em prisão domiciliar



LEONARDO_BENASSATTO_F39D335E-F698-4A7E-91B7-8CE10BCCAEED.JPG Foto: Leonardo Benassatto
12/05/2020 às 14:16

A Polícia Federal prendeu para fins e extradição na segunda-feira em Paraty, no Rio de Janeiro, um ex-oficial da Marinha da Argentina, de 69 anos, acusado de crimes contra a humanidade e sequestro, informou a PF em nota divulgada nesta terça-feira.

“O ex-militar argentino é suspeito de fazer parte da equipe de operações do Grupo de Tarefas da ESMA (Escola Mecânica Armada da Marinha Argentina). Na Argentina, o grupo foi responsabilizado por assassinatos de estudantes, sindicalistas e políticos de oposição, cujos corpos teriam sido jogados ao mar nos chamados ‘voos da morte’”, afirmou a Polícia Federal sem revelar o nome do ex-militar.



A Polícia Federal não divulgou o nome do ex-militar, mas duas fontes com conhecimento do assunto disseram à Reuters se tratar de Gonzalo Sánchez, conhecido como “El Chispa”.

A ESMA foi um dos principais centros de detenção, tortura e extermínio de dissidentes políticos durante a ditadura militar argentina entre 1976 e 1983.

Segundo a nota da PF, o ex-militar era procurado pela Interpol e já havia sido preso para fins de extradição em 2013, em Angra dos Reis, também no Rio de Janeiro, mas uma decisão judicial o colocou em prisão domiciliar. Em 2019, por sua vez, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou sua extradição e, desde então, ele estava foragido.

Sánchez foi preso em Angra dos Reis em 2013 e posteriormente teve a extradição autorizada pelo Supremo.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.