Publicidade
Cotidiano
Esquema

PF prende presidente do PSDB de Goiás por desvio de cerca de R$ 4,5 milhões

Os recursos desviados eram do PAC, do BNDES e da Caixa Econômica Federal e eram usados para pagamento de propinas e dívidas de campanhas políticas 24/08/2016 às 11:53
Show pf
A prisão de Afrêni Gonçalves Leite foi confirmada pela assessoria do PSDB-GO (Marcelo Camargo/ABr)
Andreia Verdélio (Agência Brasil) Brasília (DF)

O presidente do diretório regional do PSDB em Goiás, Afrêni Gonçalves Leite, foi preso hoje (24) pela Polícia Federal (PF), durante a Operação Decantação. Ele é investigado por participar do desvio de cerca de R$ 4,5 milhões da companhia Saneamento de Goiás (Saneago). A prisão foi confirmada pela assessoria do PSDB-GO, que informou que se posicionará sobre o caso após ter mais informações da PF.

De acordo com a polícia, o presidente da Saneago, José Taveira Rocha, também foi preso. Ele é ex-presidente do Detran-GO e ex-secretário de Fazenda do governador Marconi Perillo. Em nota, a Saneago informou que a companhia "aguarda a conclusão da operação da Polícia Federal para tomar ciência dos fatos e, a partir daí, emitir um pronunciamento sobre o caso".

Os recursos desviados são do Programa de Aceleração do Crescimento e de financiamentos do BNDES e da Caixa Econômica Federal e eram usados para pagamento de propinas e dívidas de campanhas políticas. A investigação apontou fraudes em licitações de obras de saneamento em Goiás, por meio de uma empresa de consultoria contratada pela Saneago que favorecia a contratação de empresas responsáveis por doações eleitorais.

Segundo a PF, além da prisão dos presidentes do PSDB-GO e da Saneago, outros dois mandados de prisão temporária foram cumpridos, assim como dez de prisão preventiva. Um dos mandados de prisão preventiva ainda está sendo cumprido em Goiânia. A ação da PF foi feita em parceria com o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle e o Ministério Público Federal.

Publicidade
Publicidade