Publicidade
Cotidiano
Notícias

PIM: 97 mil operários devem entrar em férias coletivas até o final do ano

Número representa 80% dos trabalhadores do Polo Industrial de Manaus; medida visa adequar produção à demanda reduzida desse período 13/11/2013 às 08:00
Show 1
No ano passado, em torno de 90 mil trabalhadores ficaram de “repouso temporário”
Olívia de Almeida Manaus, AM

Cerca de 80% dos trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM) devem entrar de férias coletivas até o final do ano, informou o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal). Esse total, conforme dados da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), representa mais de 97 mil funcionários, dos 122.325 que atuam no parque industrial. No mesmo período do ano passado, em torno de 90 mil trabalhadores ficaram de “repouso temporário”.

Segundo o presidente da entidade, Valdemir Santana, no próximo dia 15, o setor de duas rodas será o que mandará mais empregados para casa. Serão aproximadamente 30 mil, por conta do tradicional recuo na produção durante esse período do ano, em que os estoques crescem, mas a demanda pelos produtos não.

De acordo com o presidente do Sindicato da Indústria de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares de Manaus (Sinaees), Celso Piacentini, não há como mensurar quantos dos 43 mil trabalhadores do setor de eletroeletrônico deverão tirar férias coletivas. Entretanto, ele revela que há muitas empresas que estão optando por transferir o recesso do final do ano para o período da Copa do Mundo, já que nos dias de jogos não haverá expediente.

Mesmo ainda não tendo sido definidos os dias de férias de cada empresa, Valdemir aponta que nem os trabalhadores e nem as fábricas terão prejuízos com a decisão. “Os trabalhadores continuaram recebendo remuneração e décimo terceiro salário, enquanto as empresas poderão regular seus estoques”, comentou.

Santana explica que as férias coletivas são comunicadas à direção do Sindmetal e, apesar de ser um ato exclusivo do empregado, independentemente do pedido do funcionário, conta com a negociação do sindicato da categoria para que não prejudique o trabalhador. “Dependendo da empresa e das necessidades de cada uma, os trabalhadores do PIM devem ficar em casa de 10 a 30 dias”, informou.

Respaldo legal
O artigo 139 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que dispõe que as férias coletivas, determina que o empregador deve comunicar também o órgão local do Ministério do Trabalho – no caso, a Superintendência Regional do Trabalho – com a antecedência mínima de quinze dias, as datas de início e fim das férias, precisando quais os estabelecimentos ou setores abrangidos pela medida.

A SRTE-AM informou à reportagem que até o momento 12 empresas do Polo Industrial de Manaus informaram adotarão o recesso. “Estimamos que mais de 30 empresas encaminhem suas comunicações de férias coletivas”, acrescentou o superintendente, Dermilson Chagas.

Publicidade
Publicidade