Domingo, 08 de Dezembro de 2019
MANEJO

Pirarucu manejado supera R$ 20 mil de faturamento para ribeirinhos em feira

A 15º Feira do Pirarucu Manejado de Tefé aconteceu nos dias 12 e 13 de outubro. O evento combate a clandestinidade e conserva a espécie



Feira_aconteceu_no_munic_pio_de_Tef___Foto_J_lia_de_Freitas__7BA64931-260B-450F-A52D-CE931C085789.jpg Foto: Divulgação
29/10/2019 às 17:45

Pescado sustentável que se tornou símbolo de desenvolvimento no interior da Amazônia, o pirarucu manejado superou R$20 mil reais de faturamento para pescadores ribeirinhos na 15º Feira do Pirarucu Manejado e Agricultura Familiar de Tefé. O evento aconteceu nos dias 12 e 13 de outubro no Mirante das Mangueiras, em Tefé, no estado do Amazonas.

Foram 103 peixes vendidos, provenientes do Acordo Pesca do Setor Pantaleão da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, grupo que conta com a assessoria técnica do Programa de Manejo de Pesca (PMP) do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).



Do total, 45 foram vendidos no primeiro dia e 58 no segundo, resultando num faturamento bruto de R$ 23.538,50.

Os preços estabelecidos variaram de R$2 a R$13 o quilo, de acordo com a parte do pescado. Além dos diversos cortes de carne, foram também comercializadas as vísceras e as carcaças dos peixes.

Combate à clandestinidade e conservação da espécie

“A feira possibilita que a população tenha acesso ao produto legal, e aproxima quem produz de quem consome, é a melhor estratégia de combate ao comércio clandestino da espécie”, afirma a coordenadora do Programa de Manejo de Pesca (PMP) do Instituto Mamirauá, Ana Cláudia Torres.

A espécie chegou a sofrer risco de extinção local na região na década de 1980, após sobrexploração.

Implementado há 20 anos na região, o Plano de Manejo do Pirarucu permitiu que centenas de comunidades ribeirinhas alinhassem a pesca realizada tradicionalmente pelas populações com a conservação da espécie, que se encontrava ameaçada na principalmente pela invasão de barcos pesqueiros ilegais na região.

O programa de manejo estabelece critérios como cota, tamanho mínimo e período de defeso para a pesca do peixe, respeitando o ciclo reprodutivo da espécie e mantendo-a fora de perigo.

Agricultura familiar e atividades

Além da venda do pescado, a feira também teve produtos da agricultura familiar da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, da Floresta Nacional de Tefé (Flona), da Emade e comunidade Missão.

As crianças realizaram atividades montando brinquedos de montagem e colorindo desenhos do maior peixe de escamas de água doce do mundo. Os visitantes do evento também puderam tirar fotos com dois pirarucus que ficaram em exposição.

A 15º Feira de Pirarucu Manejado e da Agricultura Familiar de Tefé teve financiamento do Banco da Amazônia e do Governo Federal e contou com o apoio da Prefeitura Municipal de Tefé, Colônia de Pescadores Z-4 de Tefé, DEMUC/SEMA, Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Sebrae e IDAM.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.