Sábado, 25 de Maio de 2019
Notícias

PMs do Ronda no Bairro não vão atender ordem de Comando Geral

Comandante do programa disse que PMs não vão deixar de perseguir suspeitos de crimes se  for preciso



1.jpg
Amadeu Soares,coordenador do programa Ronda no Bairro, disse que PMs não atenderão suposta ordem
12/01/2013 às 14:16

Os policiais militares do programa Ronda no Bairro não vão cumprir a determinação do comandante-geral da Polícia Militar (PM) do Amazonas, coronel Almir Davi, que proibiu os PMs de perseguirem suspeitos de crimes. A afirmação é do coordenador do programa, coronel Amadeu Soares. “Isso não vai acontecer. As viaturas do Ronda vão continuar perseguindo suspeitos, se for preciso. O que não vai mais acontecer é atirar em área urbana”, afirmou.

Amadeu Soares disse não saber de nenhuma determinação, mas classificou a medida como “absurda”. “É claro que é mais inteligente fazer um cerco do que sair a 120 km/h perseguindo um suspeito e colocando em risco a vida do próprio policial e de terceiros, que estão nas ruas. Mas a função da polícia é combater o crime e se, para isso, for preciso fazer uma perseguição, eles vão fazer”.

A medida, segundo fontes de A CRÍTICA, teria sido motivada pelos recentes incidentes ocorridos durante perseguições policiais, algumas resultando na morte de suspeitos perseguidos, e também pelo objetivo de evitar danos às viaturas que, no caso do programa Ronda no Bairro, são alugadas.

O assessor de Comunicação da PM, coronel Euler Cordeiro, esclareceu que a recomendação do Comando Geral é no sentido de orientar os policiais a acompanhar os infratores, mantendo a segurança. “O acompanhamento é seguir, em segurança, informando todas as redes amigas, que vão tentar fazer o bloqueio”, explicou.

Omissão

Mas, de acordo com policiais militares entrevistados pelo programa A CRÍTICA NA TV, a ordem foi clara no sentido de não iniciar perseguições a suspeitos de crimes, mesmo que o fato aconteça na frente deles, como relatou um dos PMs, que não quis se identificar, temendo represálias. “É determinação não perseguir moto, nem carro, nem ninguém, nem se eu ver a pessoa roubando na minha frente”, relatou o policial.

Coincidência ou não, a medida foi tomada pela PM depois de casos desastrosos de perseguições empreendidas por policiais militares. Em um deles, no domingo, o segurança Jorge Siqueira Brilhante, 35, morreu após a motocicleta que ele pilotava ser atingida por uma viatura 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), no cruzamento entre as avenidas Aruanã e Brasil, no bairro da Compensa, Zona Oeste, e cair no igarapé do Franco.

Segundo a polícia, ele trafegava sem capacete e tentou fugir de uma blitz, mas foi perseguido pelos PMs. A família do segurança acusou os policiais militares de atropelarem e matarem o vigilante propositadamente.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.