Publicidade
Cotidiano
Notícias

Polêmica: pregação religiosa em terminais de Manaus vira debate entre internautas

Maioria se diz contra a proposta, de autoria da vereadora Pastora Luciana, defende o Estado laico e igualdade de direitos entre as religiões. Incômodo por conta das 'gritarias' e altos volumes também são tratados nas discussões 13/05/2015 às 21:33
Show 1
Vereadora Pastora Luciana é lider espiritual da Igreja Ministério Apostólico Sol Brilhante
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Quando propôs, na última segunda-feira (11), um projeto de lei à Câmara Municipal (CMM) para garantir as manifestações religiosas em terminais de ônibus de Manaus, a vereadora Pastora Luciana (PP) iniciou um intenso debate entre internautas manauaras na web.

Duas matérias publicadas pelo Portal A Crítica, tratando do tema na segunda e na terça-feira (12), somam 12,5 mil curtidas, 172 compartilhamentos e incontáveis comentários nas redes sociais e no site. A maioria esmagadora se diz contra proposta e critica a iniciativa.

O usuário Fernando Bezerra, por exemplo, escreveu: “Gostaria que os vereadores fizessem o papel que lhes foi confiado. Apresente projetos de urbanização, segurança, educação. Vejam vcs que tipo de aventureira se mete na política. Imagine o trabalhador cansado esperando onibus e aqueles desocupados gritando com microfone”.

Sydney Silva relembrou os constantes assaltos aos terminais de ônibus e retrucou: “Vereadora, os terminais precisam de segurança, pontualidade dos ônibus, conforto, e os usuários precisam de respeito e que vocês vereadores vão trabalhar e honrar o voto do povo”.

No Portal A Crítica, a usuária Nara Batarce Lima levantou o questionamento a respeito das outras manifestações que não sejam evangélicas. “Se eu for lá pregar o budismo, ateísmo, candomblé ela vai gostar? Todos vão gostar? Não, igualmente para o evangelho. A mesma liberdade que ela quer para os pregadores, eu quero para não ser obrigada a ouvir. Simples assim”, comentou.

Ainda no portal, o usuário Samuel complementou: “Se é favor da manifestação de pensamento então pode o hindu, o umbandista e espírita fazerem o mesmo?”.

Sobre o questionamento, Augusto da Costa comentou: “MUITO BEM! Se for aprovado serei um dos primeiros a incentivar cultos do Espiritismo como candomblé, vudu, magia negra etc, pois estes tb terão direito pq é 1 espaço público. É nisso que dá votar em gente incauta, pessoas que só sabem falar, e diga-se de passagem, falar besteira”.


Concordando com a proposta da pastora, alguns usuários posicionaram-se defendendo o projeto de lei. “O povo de deus tem sido perseguido e quase ja não podemos pregar o evangelho do senhor em áreas publicas...faça um para os missionários poderem voltar a pregar nos ônibus também”, afirma Luís no Portal A Crítica.

José Luiz Souza relatou, em seu ponto de vista, porque considera importante as pregações em locais públicos “A Vereadora está certa, pois nesses locais muitas pessoas estão descontente em não conquistar o esperado (emprego etc.), vem tribulação, ódio e outras coisas horrendas e, uma palavra de reflexão acaba mudando os pensamentos negativos, e as pessoas passam a olhar à vida de forma perseverante onde Deus atua e lhe concede vitórias”.

Confira outros comentários dos nosso leitores

"Liberdade de expressão não pode sobrepor aos direitos de não sermos incomodados com berros alucinados... Vá trabalhar em prol da educação, segurança e principalmente da saúde". De Paulo Oliveira

"Pode ter batuque de Umbanda??". De Valdir

"Entendo que a palavra seja estendida para todos, mas em local certo. As pessoas que estão em um terminal ou em coletivos, estão ali por necessidade, por obrigação e nesse caso não estão dando o direito de ele ou ela optar em querer ouvir a palavra. Mas estão empurrando de goela a baixo, principalmente, porque não é essa pastora que vai fazer a pregação e sim pessoas que se quer sabe se expressar além de ficar gritando e estressando as pessoas que ali estão obrigadas". Gerdoval

"GLÓRIAS A DEUSSSSS POR ISSO VEREADORA....O POVO DE DEUS TEM SIDO PERSEGUIDO E QUASE JA NÃO PODEMOS PREGAR O EVANGELHO DO SENHOR EM ÁREAS PUBLICAS...FAÇA UM PARA OS MISSIONÁRIOS PODEREM VOLTAR A PREGAR NOS ÔNIBUS TAMBÉM.....PARABÉNSSSSSS!!!!". LUIS

 “Isso já está passando dos limites, não tenho nada contra, mas não concordo como vcs Evangelicos agem. Guarde seus Evangelismo com voces, que nos não somos obrigados á ficar ouvindo isso. Isso é falta de respeito com á população. vi um video que o povo do Evangélicos estão fazendo um Exército, só pode ser pra fazer guerra contra nós da população". De Tomás Aroa

O projeto

O projeto de lei nº. 121 /2015, que começou a tramitar no  dia 11 de maio, dispõe sobre a utilização dos terminais de ônibus públicos para apresentação de palestras, pregações e manifestações religiosas no âmbito do município de Manaus, e dá outras providências.

Apesar do artigo 1º garantir aos pregadores de todas as religiões a apresentação de palestras, pregações e manifestações religiosas nos terminais de ônibus, o artigo 5º se refere apenas a pregadores de "igrejas", que devem citar no credenciamento seu cargo "eclesiástico".

"Os palestrantes e pregadores deverão ser credenciados e autorizados pela sua igreja local. Sua credencial deverá conter: nome, número da identidade, endereço da igreja e cargo eclesiástico".

Publicidade
Publicidade