Domingo, 27 de Setembro de 2020
TRABALHOS ESPECIALIZADOS

Polícia inaugura núcleo para combater aumento na violência doméstica contra a mulher

Núcleo de Combate ao Feminicídio, na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), pretende diminuir os casos de violência doméstica contra mulheres, que teve aumento de 40% no primeiro semestre de 2020



7757e5af-3dd0-4056-8abc-e7bba188a775_CA807FEE-7D45-4397-869E-25D5856E4BCE.jpg Foto: Euzivaldo Queiroz
07/08/2020 às 11:19

A Polícia Civil (PC) inaugurou o Núcleo de Combate ao Feminicídio, na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), situada no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus, na manhã desta sexta-feira (7).

A unidade surgiu para combater o aumento de casos de violência doméstica contra mulheres, que subiram cerca de 40% no primeiro semestre deste ano, o que resulta em pelo menos 10 mil casos, segundo o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates.



Ainda de acordo com Bonates, o número de casos não está dividido por pessoas, mas por ocorrências. “Há muitos casos nos quais são registradas várias ocorrências para uma mesma mulher”, disse.

O objetivo da unidade é investigar homicídios consumados ou tentados, que tenham mulheres como vítimas. Bonates mencionou a importância da denúncia por parte das mulheres que sofrem de violência.

O núcleo funcionará nas dependências da DEHS. Segundo a delegada-geral Emília Ferraz, o núcleo trabalhará em conjunto com as três Delegacias Especializadas em Crimes contra a Mulher (DECCMs), localizadas nas Zonas Centro-Sul, Sul/Oeste e Norte/Leste, a fim de realizar atividades policiais integradas.

De acordo com a deputada Alessandra Campêlo, o aumento de casos de violência doméstica contra mulheres ocorreu mundialmente, durante a pandemia do novo Coronavírus. “É um absurdo que estejamos em 2020 e mulheres sejam assassinadas simplesmente por serem mulheres, por companheiros que muitas vezes não aceitam o fim de uma relação”, afirmou. 

A deputada disse, também, que os casos de feminicídio começam com violência de natureza psicológica e , que, normalmente, se desenvolem para agressão física, podendo culminar na morte da vítima. “Qualquer pessoa que saiba que uma mulher está sendo agredida pelo companheiro pode ligar para o 180 ou 190, caso a agressão esteja ocorrendo naquele momento”. 

Segundo a delegada-geral, antes da criação do núcleo, os homicídios contra as mulheres eram investigados pela DEHS. “Portanto, não havia um olhar especial para os casos de feminicídio”, disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.