Publicidade
Cotidiano
Notícias

Polícia investiga caso de idosa morta a pauladas no município de Codajás (AM)

A vítima veio a óbito após ser golpeada diversas vezes na cabeça com um pedaço de madeira. Moradores de Codajás denunciam que o município está “jogado às traças” 08/08/2013 às 21:27
Show 1
Raimunda Batista dos Santos, de 67 anos, morreu no último sábado (3) depois de ser golpeada diversas vezes na cabeça, em Codajás
VINICIUS LEAL Manaus (AM)

Cinco dias após a aposentada Raimunda Batista dos Santos, 67, morrer depois de ser golpeada diversas vezes no crânio com um pedaço de madeira, durante um assalto à residência dela no último sábado (3), em Codajás (297 quilômetros em linha reta de Manaus), a Polícia Civil do município continua as investigações para solucionar o caso. A delegada Magna Oliveira Santana, titular da 78ª Delegacia Interativa de Polícia, declarou que um homem já foi identificado como suspeito do latrocínio.
 
Conforme a delegada, até o momento foram colhidos depoimentos de testemunhas e familiares, mas nenhum objeto roubado foi recuperado (dois cordões e dinheiro de quantia não informada). A família da vítima nega que algum pertence da idosa tenha sido levado da casa, localizada na comunidade São Francisco, em Codajás. “Nada foi roubado. Eles apenas reviraram a casa. Minha mãe era muito querida pelos moradores de Codajás, tanto que teve uma passeata pedindo a punição aos culpados”, informou a filha da vítima, que mora em Manaus e preferiu não ter o nome revelado.
 
Segundo o filho de criação da vítima, Alípio Santos Silva, 30, que também reside em Manaus, a aposentada morava sozinha no município há cerca de 20 anos e recebia os cuidados de um vizinho dela, o primeiro a encontrá-la morta no quarto. Alípio disse que a mãe mantinha um comércio e um bar em frente a própria casa, o que pode ter motivado a invasão do local por assaltantes. “Os vizinhos não ouviram nada. Isso foi uma crueldade com ela, terem matado assim, dominando-a”, disse.
 
Denúncia
Um morador de Codajás amigo da vítima, que também não quis ter a identidade revelada, denunciou ao ACRITICA.COM sobre o estado de abandono em que se encontra o município, clima que estaria incentivando crimes como este. “A droga aqui está correndo solta, em todos os cantos da cidade e também nas escolas. Mesmo que ela tivesse com vida, seria difícil para recuperá-la pois aqui não tem médicos e nem remédios. Não tem nem dipirona”, informou.
 
A filha da vítima confirmou as denúncias sobre as condições de Codajás. “Eu sinto muito pelo povo de lá, que está entregue à própria sorte. Quando fomos à delegacia, não tinha uma viva alma. Foi um preso que nos atendeu. Os policiais vieram completamente bêbados fazer o procedimento na casa da minha mãe. Isso aqui é uma cidade fantasma. Não tem uma única rua que presta, não tem saúde e nem segurança. O policial prende e no outro dia a delegada solta, porque ela não quer a delegacia lotada. Depois de Tabatinga, Codajás pede socorro às drogas”, revelou.
 

Polícia
A assessoria de imprensa da Polícia Civil do Amazonas informou que as denúncias de irregularidades na 78ª Delegacia Interativa de Polícia de Codajás foram encaminhadas ao diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), delegado Antônio Chicre, que promete investigar o caso.
 
Prefeitura
O secretário da prefeitura de Codajás, Miqueias Paz de Carvalho, declarou que a administração municipal está planejando reformas na cidade. “Ninguém faz milagres. O prefeito assumiu há oito meses. Passaram quatro anos e ninguém reclamou. Agora a cidade está sendo reformada”, disse. De acordo com Miqueias, já foi dado início o processo legal para asfaltar as ruas da cidade e o próximo passo é fazer licitação para contratar a empresa que fará os serviços.
 
Sobre o atendimento médico em Codajás, Miqueias disse que haverá investimentos para melhorar o serviço de saúde na cidade. “O prefeito contratou médicos. Estamos reformando uma policlínica e os seis postos de saúde, que serão inauguradas daqui a 10 dias”, declarou.

Cassação
Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), o presidente da Câmara Municipal de Codajás, Rauciele Ferreira da Natividade, está assumindo como chefe da administração municipal porque o prefeito eleito nas últimas eleições de 2012, Abrahan Lincoln Dib Bastos (PSD), foi afastado do cargo após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassar o registro eleitoral dele por improbidade administrativa, quando Abrahan Lincoln não prestou contas de recursos federais enviados à Codajás durante mandato anterior.

Publicidade
Publicidade